Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Em Cartaz Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Raquel Carneiro
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

‘Folhas de Outono’: razões para ver o filme peculiar de diretor finlandês

No longa belo e irônico, a vida é dura e o dinheiro revela-se sempre curto — porém as relações de amor e amizade levam à superação das adversidades

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 2 dez 2023, 08h00

A rotina de Ansa é tão modesta quanto suas posses. Durante o dia, ela organiza prateleiras num mercado em Helsinque, capital da Finlândia. À noite, volta para seu minúsculo apartamento, aquece alguma refeição vencida e liga o rádio. Dificilmente o aparelho lhe traz algum consolo: as notícias da guerra na Ucrânia dominam a programação. O noticiário é o único ponto de ligação entre os dias atuais e o filme Folhas de Outono (Kuolleet Lehdet; Finlândia/Alemanha, 2023), já em cartaz no país. No mundo peculiar do diretor finlandês Aki Kaurismäki, as épocas são indefinidas, as roupas e os cenários antiquados não indicam tendências da moda e os smartphones são inexistentes — mas eis que, do nada, um calendário na parede surpreende ao estampar o ano de 2024.

Biblioteca Nórdica

O tempo cronológico e a bagagem que ele traz — como uma visão política do momento ou a interferência das redes sociais — são irrelevantes para o cineasta: interessam a Kaurismäki os lances imutáveis das relações humanas diretas, do olho no olho, especialmente entre aqueles que enfrentam escassez financeira. Elas estão imersas numa realidade dura, mas na qual sobressai um otimismo quase milagroso. “As pessoas tentam sobreviver ao mundo onde elas nasceram. Quando toda esperança se foi, não há razão para pessimismo”, disse ele certa vez.

The Films of Aki Kaurismäki: Ludic Engagements

Continua após a publicidade

Eleito melhor filme do júri no Festival de Cannes deste ano, Folhas de Outono é uma comédia romântica sui generis. A vida pacata de Ansa (Alma Pöysti), mulher madura e solitária, ganha outro ritmo quando ela conhece Holappa (Jussi Vatanen), homem gentil, trabalhador — mas alcoólatra. No primeiro encontro, ele a leva a um cinema. Na saída, Ansa lhe dá um pa­pel­zi­nho com seu telefone. Ele perde a anotação. Holappa, então, vai diariamente à porta do cinema com a esperança de vê-la passar. Entre encontros e desencontros, ambos lutam para pagar as contas, pulando entre trabalhos braçais e sem garantias ou benefícios.

The Cinema of Aki Kaurismäki: Contrarian Stories

Antes de se embrenhar no cinema, o próprio diretor — que também é roteirista, produtor e ator — experimentou empregos subalternos, como ajudante de cozinha e pedreiro. Dessa experiência nasceu a trilogia Proletariado, à qual Folhas de Outono se soma como um quarto integrante simbólico — a série é formada originalmente por Sombras no Paraíso (1986), Ariel (1988) e A Garota da Fábrica de Caixas de Fósforos (1990). Em comum, pessoas da base da sociedade, sem acesso ou poder para mudar problemas macro, como crises econômicas e políticas, se voltam para o micro: é na relação com o próximo que elas encontram, afinal, a luz no fim do túnel.

Continua após a publicidade

Publicado em VEJA de 1º de dezembro de 2023, edição nº 2870

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

Biblioteca Nórdica
Biblioteca Nórdica
The Films of Aki Kaurismäki: Ludic Engagements
The Films of Aki Kaurismäki: Ludic Engagements
The Cinema of Aki Kaurismäki: Contrarian Stories
The Cinema of Aki Kaurismäki: Contrarian Stories

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.