Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Bahia

Por VEJA Correspondentes
Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens baianos.
Continua após publicidade

ACM Neto defende que reforma da Previdência exclua estados e municípios

Para o prefeito de Salvador, o país já está 'colapsado' e a situação vai se agravar sem as reformas

Por Rodrigo Daniel Silva
Atualizado em 4 jun 2019, 08h36 - Publicado em 3 jun 2019, 21h56

Presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, defendeu, nesta segunda-feira, 3, que a reforma da Previdência exclua estados e municípios. O democrata soteropolitano ressaltou, porém, que a sua posição não é unânime dentro do partido. Segundo ele, os governadores de Goiás e do Mato Grosso, Ronaldo Caiado e Mauro Mendes, respectivamente, querem a inclusão dos estados no texto.

“Defendo que a emenda constitucional aprovada no Congresso Nacional seja de aplicação imediata e exclusivamente para servidores federais. E que possa ter validade para estados e municípios desde que governadores convalidem e confirmem nas Assembleias Legislativas, e prefeitos nas Câmaras de Vereadores (…) Cabe a cada estado e a cada município avaliar se quer essa legislação ou se quer uma outra legislação que traga adaptações a sua realidade. (…) Vou defender, como prefeito e como uma pessoa que pode influenciar, que a aplicação não seja imediata e que tenha que se confirmar nos estados e municípios”, declarou Neto.

Líder do DEM na Câmara dos Deputados, Elmar Nascimento (BA) também defendeu a exclusão dos municípios e estados. “O Brasil é um país continental e as realidades são diferentes entre os diversos entes federativos”, disse, em sua conta Instagram.

ACM Neto comentou ainda a declaração do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que o Brasil pode entrar em “colapso”, caso as reformas não sejam aprovadas. Para o prefeito soteropolitano, o país já está “colapsado” e a situação vai se agravar sem as reformas. “Estamos vivendo uma crise sem precedentes. Uma crise que gera 14 milhões de desempregados no país, que gera esse drama social. Então, se a reforma não for aprovada, o que vamos ter pela frente é um período ainda pior”, afirmou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.