Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Verme é capaz de regenerar memória após ser decapitado

Pesquisa aponta que a planária consegue recuperar rapidamente habilidades que havia desenvolvido antes de ter a cabeça cortada

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h19 - Publicado em 11 jul 2013, 17h03

As planárias são vermes muito estudados por sua capacidade de regenerar partes do corpo, incluindo a cabeça. Um novo estudo da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, mostra que esses animais, que pertencem ao filo dos platelmintos (“verme achatado”), conseguem recuperar até a memória. De acordo com a pesquisa, após regenerar o cérebro, a planária recobra rapidamente as habilidades que havia aprendido antes de ser decapitada.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: An automated training paradigm reveals long-term memory in planaria and its persistence through head regeneration

Onde foi divulgada: periódico The Journal of Experimental Biology

Quem fez: Tal Shomrat e Michael Levin

Instituição: Universidade Tufts, EUA

Continua após a publicidade

Resultado: Mesmo depois de terem sido decapitadas, as planárias que tinham passado por um treinamento conseguiram encontrar alimento e um determinado local muito mais rápido do que aquelas que nunca haviam sido treinadas

Os pesquisadores avaliaram a memória das planárias observando quanto tempo elas levavam para encontrar comida em um determinado local. Esses vermes não gostam de espaços abertos e iluminados, mas haviam sido treinados para superar essa aversão. Mesmo após a decapitação, as planárias que tinham passado pelo treinamento conseguiram chegar ao alimento muito mais rápido do que aquelas que nunca haviam sido treinadas.

No entanto, o aprendizado da planária não foi recuperado de forma instantânea. Cada animal precisou passar por mais uma sessão de treinamento. Os pesquisadores ainda não sabem por que ou como isso ocorre. Uma hipótese levantada pelos autores é de que haja outro local no corpo desses vermes, além do cérebro, onde as memórias são armazenadas. Outra é a de que o treinamento tenha modificado o próprio sistema nervoso das planárias, alterando a fórmula para a regeneração do cérebro. O artigo descrevendo o experimento foi publicado no periódico The Journal of Experimental Biology.

Leia também:

Cientistas criam chip que restaura a memória

Cientistas revertem problemas de memória em laboratório

Continua após a publicidade
Publicidade