Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Veja como aconteceu a abertura do túmulo de Jesus

O local, que fica na Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém, foi aberto no início da semana para ser investigado por arqueólogos e passar por restauração

No início desta semana, o túmulo onde o corpo de Jesus Cristo foi sepultado, segundo a tradição cristã, foi aberto pela primeira vez desde 1555. Arqueólogos e pesquisadores da Universidade Nacional e Técnica de Atenas, que tiveram acesso ao local sagrado descobriram que a cama funerária onde o corpo teria sido colocado permaneceu intacta – uma das grandes questões que a abertura da tumba poderia esclarecer. O local, dentro da Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém, foi aberto para que sejam colhidas informações para futuras pesquisas e também para dar início ao projeto de restauração do local.

Os trabalhos começaram em 26 de outubro, quando a edícula que recobre o túmulo foi aberta e uma placa de mármore que recobre a tumba foi removida pelos arqueólogos. Após sessenta horas de esforços para retirar o material que estava sob a lâmina, os pesquisadores encontraram uma nova pedra, com uma pequena cruz gravada. Após a remoção dessa segunda camada, os cientistas se surpreenderam ao encontrar, intocado, o que, acredita-se, seja o leito mortuário de Cristo.

Segundo os arqueólogos, as pedras foram colocadas para evitar saques e danos provocadas pelas grandes levas de peregrinos ao local. A primeira camada foi posta, provavelmente, no momento do sepultamento. Já o segundo revestimento, em 1555. Após a remoção das placas, os cientistas colheram alguns dados e fecharam o túmulo novamente.

Santo Sepulcro

O lugar foi identificado pela mãe do imperador romano Constantino, Helena, em 326 d.C., que mandou construir a Basílica do Santo Sepulcro. A descoberta dos arqueólogos pode provar que a localização do túmulo não mudou ao longo do tempo, mesmo após um incêndio que atingiu a basílica e destruiu a edícula em 1808-1810.

Confira algumas imagens que revelam como aconteceu a abertura do túmulo:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Não encontraram nem uma baratinha?

    Curtir