Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Telescópio James Webb assume posição em órbita ao redor do Sol

Nesta segunda, de uma base nos EUA, a Nasa acionou propulsores do observatório de 10 bilhões de dólares por quase cinco minutos para ajustes finais

Por Da Redação Atualizado em 24 jan 2022, 19h12 - Publicado em 24 jan 2022, 18h35

O telescópio orbital James Webb chegou ao seu destino final, a um milhão e meio de quilômetros da Terra, um mês depois de ser lançado ao espaço. De uma base nos Estados Unidos, a Nasa acionou seus propulsores por quase cinco minutos para colocá-lo em órbita ao redor do sol. De seu ponto de vista no espaço, o Webb seguirá um caminho especial em constante alinhamento com o nosso planeta, permitindo contato de rádio ininterrupto.

Os espelhos do observatório de 10 bilhões de dólares ainda precisam ser alinhados e os detectores infravermelhos resfriados, antes que as observações científicas possam começar, em junho. “Estamos um passo mais perto de descobrir os mistérios do universo. E mal posso esperar para ver as primeiras imagens no meio do ano”, disse em comunicado o ex-astronauta e ex-senador democrata Bill Nelson, gestor da Nasa.

O telescópio permitirá aos astrônomos olhar mais para trás no tempo do que nunca, desde quando as primeiras estrelas e galáxias estavam se formando há 13,7 bilhões de anos. Antes de começar a funcionar, no entanto, serão necessários vários meses de trabalho a fim de prepará-lo. Os 18 segmentos de seu espelho principal, que foram dobrados para caber dentro do compartimento de carga do foguete que levou o telescópio ao espaço, foram desenrolados com o restante de seus componentes estruturais durante um período de duas semanas após o lançamento, em 25 de dezembro.

Esses segmentos foram recentemente separados dos prendedores que os mantinham no lugar para o lançamento e avançaram lentamente meia polegada de sua configuração original, permitindo que fossem ajustados em uma única superfície ininterrupta de coleta de luz. Agora, eles precisam ser alinhados para atingir o foco adequado do espelho, um processo que levará três meses para ser concluído. Se tudo correr bem, Webb deve estar pronto para começar a fazer observações no meio do ano, com imagens iniciais usadas para demonstrar que os instrumentos funcionam corretamente.

Considerado o sucessor do Telescópio Espacial Hubble, que orbita a 530 quilômetros de altitude, o Webb está muito longe para reparos de emergência. Isso torna os marcos do mês passado – e os próximos – ainda mais importantes.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês