Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Saiba como será feita a primeira chuva de meteoros artificial

Startup japonesa ALE desenvolveu tecnologia inovadora para criar chuvas de meteoros artificiais em 2018

Por Da redação
Atualizado em 4 jun 2024, 20h20 - Publicado em 24 out 2016, 15h19

Uma luminosa e colorida chuva de meteoros artificiais deve iluminar os céus do Japão em 2018. A startup japonesa ALE lançará ao espaço um satélite que, orbitando a Terra a cerca de 500 quilômetros, será o responsável pela criação das primeiras “estrelas cadentes” criadas pelo homem. De acordo com a empresa, elas brilharão intensamente e em cores variadas.

Chuva de meteoros

A chuva de meteoros natural é um fenômeno provocado pela combustão de partículas deixadas por resquícios de cometas que atingem a atmosfera terrestre, o que permite ver no céu, por alguns instantes, sua trajetória iluminada. Durante o evento, esses pequenos pontos brilhantes parecem despencar do céu, razão por que são conhecidos como “estrelas cadentes”. Para enxergá-los, os astrônomos recomendam céu limpo e locais escuros.

O evento criado artificialmente será comandado por um satélite que deve carregar entre 300 a 500 partículas de cerca de dois centímetros de diâmetro. Segundo a ALE, esses pequenos fragmentos serão liberados pelo satélite e cairão mais lentamente que os naturais, a uma velocidade de oito quilômetros por segundo (os naturais caem a uma velocidade média de 72 quilômetros por segundo), o que facilitará a observação.

Continua após a publicidade

Como fogos de artifício, ao entrar em combustão, eles irão revelar tons diferentes de azul, verde e laranja e poderão ser vistos mesmo pelos habitantes de grandes cidades, a uma distância de até 200 quilômetros. De acordo com a empresa, eles serão 70 vezes mais brilhantes que uma “estrela cadente” natural (a tecnologia capaz de promover a luminosidade é o grande segredo da empresa). Assim como durante as chuvas de meteoros naturais, nenhum deles deve chegar à superfície da Terra.

Empresa japonesa cria satélite que lançará 'chuva de meteoros artificial'
Impressão artística de como será o satélite que lançará a chuva de meteoros artificial (ALE/Divulgação)

Para produzir cada uma dessas “partículas”, que custa aproximadamente 8.000 dólares, cerca de vinte astrônomos e engenheiros espaciais trabalha no projeto. Segundo a imprensa japonesa, a empresa pretende usar a tecnologia durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 2020 que será em Tóquio.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.