Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Orangotangos usam ‘engenharia complexa’ para construir ninhos

Estudo mostra que primatas escolhem tipos diferentes de galhos para a sustentação e o revestimento de estrutura para dormir com conforto

Orangotangos precisam construir, com os galhos das copas das árvores, ninhos para dormir confortavelmente. Cientistas acreditam que essas estruturas sirvam para proteção contra o frio e parasitas durante a noite. Um estudo publicado nesta terça-feira no periódico científico PNAS mostrou que a construção desses ninhos demanda um complexo conhecimento de engenharia. Depois de passar um ano observando e filmando orangotangos da selva de Sumatra e Bornéu, na Indonésia, Roland Ennos e Adam van Casteren, pesquisadores da Universidade de Manchester, na Inglaterra, concluíram que esses primatas diferenciam galhos para a sustentação e o revestimento do ninho.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Nest Building Orangutans Demonstrate Engineering Know-How to Produce Safe, Comfortable Beds

Onde foi divulgada: revista PNAS

Quem fez: Adam van Casterena, William I. Sellersa, Susannah K. S. Thorpeb, Sam Cowardb, Robin H. Cromptonc, Julia P. Myattd e A. Roland Ennosa

Instituição: Universidade de Manchester, Inglaterra

Dados de amostragem: orangotangos da Indonésia

Resultado: Orangotangos não escolhem aleatoriamente galhos para construir seus ninhos. Eles levam em conta o tamanho e a rigidez do galho para construir partes distintas do ninho.

“Nós descobrimos que os orangotangos escolhem galhos fortes e rígidos para partes estruturais, que sustentam seu peso. Galhos mais fracos são usados no revestimento. Isso sugere que a escolha de galhos específicos para cada parte dos ninhos foi guiada pela rigidez e pelo diâmetro dos galhos”, explica Roland Ennos, da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade de Manchester.

“Nós testemunhamos orangotangos construindo ninhos seguros e confortáveis com galhos espessos e torcendo galhos menores para fazer uma espécie de colchão. Eles parecem ter aprendido propriedades mecânicas de madeira e como usá-las de forma inteligente”, acrescentou Ennos.

Com essa descoberta, autores indicam que orangotangos, como alguns pássaros, como o pássaro-caramancheiro, que seduzem fêmeas construindo sofisticados abrigos, têm um conhecimento intuitivo de engenharia. Construir um ninho seguro e confortável é bastante importante para esses primatas, já que eles passam a maior parte do tempo em árvores e uma estrutura mal sustentada poderia implicar na queda desses animais.

Ferramentas – Para o professor Eduardo Ottoni, do Departamento de Psicologia Experimental da USP, o hábito de construção diária de ninhos não é exclusividade dos orangotangos. “Primatas como os chimpanzés também constroem todos os dias essas estruturas para dormir.” (clique aqui para saber mais sobre a construção de ninhos)

Sobre a pesquisa da Universidade de Manchester, Ottoni afirma que o estudo é interessante porque mostra a complexidade estrutural envolvida na construção dos ninhos. O professor, que estuda a transferência social do uso de ferramentas por macacos-prego, acredita que o próximo passo a ser feito com esses resultados é descobrir como o conhecimento usado nessas construções é transmitido entre os primatas.

Confira vídeo: pesquisadores registram orangotango construindo ninho

http:http://www.youtube.com/embed/g6gfG4aCUyw

Saiba mais

POR QUE DORMIR EM UM NINHO?

Motivada por essa pergunta, Fiona Stewar, da Universidade de Cambrigde, dormiu 11 noites em ninhos de chimpanzé no Senegal e comparou com outras noites dormidas no chão. Nas noites dormidas nos ninhos, Stewar sofreu menos picadas de insetos e se sentiu mais aquecida. Ela também relata que quando dormiu no solo sentiu maior preocupação com cobras e animais como hienas. O estudo de Fiona, Why sleep in a nest? Empirical testing of the function of simple shleters made by wild chimpanzees, foi publicado em 11 de agosto de 2011 no periódico American Journal of Physical Anthropology. Assim como os orangotangos, chimpanzés constroem diariamente ninhos em copas de árvore para dormir.