Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nave chinesa Shenzhou 9 será lançada em junho para se acoplar a módulo espacial

Chineses dão mais um passo para a construção de sua estação espacial

A China lançará em junho deste ano a nave não tripulada Shenzhou 9 ao espaço, para se acoplar ao módulo espacial Tiangong 1. A missão representa mais um passo no programa de desenvolvimento de uma base permanente na órbita terrestre, informaram os responsáveis do projeto em entrevista ao portal estatal China.org.

Saiba mais

TIANGONG 1

Xinhua

Xinhua (/)

O módulo experimental da estação chinesa tem 8 toneladas com um formato cilíndrico e uma escotilha de acoplamento em cada ponta. A estrutura possui dois compartimentos, um para guardar carga útil e o outro equipado com computadores e dispositivos de controle da espaçonave.

A diferença entre esta missão e a do Shenzhou 8, lançado em novembro de 2011, é criar uma estrutura que permitirá a passagem de ar entre os dois objetos. Animais e sementes estarão à bordo para a realização de experiências para preparar a viagem de dois ou três astronautas ao módulo no início de 2013, incluindo a primeira chinesa em órbita.

“Temperatura, umidade e a pressão serão controladas depois que o ar circular entre ambas as naves para garantir a segurança dos astronautas que irão até o módulo na próxima missão”, detalhou Zhu Yilin, cientista do Instituto de Tecnologia Espacial da China.

A nave tripulada fará acoplamentos automáticos e manuais e experiências, além de tarefas de manutenção do módulo.

A China lançou seu último equipamento, o Shenzhou 8, em novembro de 2011. Após duas semanas em órbita, ele acoplou-se à Tiangong 1, tornando-se a primeira nave chinesa a realizar esse feito. A manobra aconteceu a uma velocidade de 28.000 quilômetros por hora e a uma altitude de 343.000 metros acima da superfície da Terra, segundo o Centro Aeroespacial de Controle de Voo, em Pequim.

Especialistas estimam que o atual o nível tecnológico da China é equivalente ao que tinham os Estados Unidos e a extinta União Soviética na década de 60, mas está progredindo mais rapidamente do que Washington e Moscou, onde os problemas econômicos e as dúvidas sobre a viabilidade do projeto frearam os avanços durante anos.

(Com informações da Agência EFE)

Cronologia do programa espacial chinês

1956 A China, ainda uma sociedade predominantemente rural e imersa na pobreza, inaugura seu primeiro Instituto de Pesquisas de Mísseis e Foguetes. 1960 O país desenvolve seu primeiro foguete, auxiliado por cientistas russos. O feito marca o início de uma série inteira de foguetes, todos nomeados CZ (abreviação de Changzheng ou “Longa Marcha”). 1970 Em 24 de abril, a China se torna o primeiro país do mundo a enviar um segundo satélite para a órbita terrestre, quando o DFH-1 é lançado ao espaço a bordo de um foguete Longa Marcha. 1992 Enquanto a China faz dos voos tripulados seu objetivo de médio e longo prazos, o Conselho de Estado ou gabinete adota o “projeto 921”, tão secreto quanto os projetos anteriores, mais conhecido pelo nome Shenzhou (“nave divina”). 1995 O programa espacial chinês sofre um revés quando um foguete CZ-2E explode durante o lançamento em Xichang, na província de Sichuan (sudoeste), matando seis pessoas.

1999 A primeira nave espacial Shenzhou é lançada em 20 de novembro a bordo de um foguete CZ-2F e retorna à Terra após completar 14 órbitas. A bordo viajam quilos de amostras biológicas. 2002 A Shenzhou III é lançada em 25 de março, na presença do presidente Jiang Zemin. Em 1º de abril, após orbitar a Terra 108 vezes, a espaçonave volta à Terra. Em 29 de dezembro, a Shenzhou IV é mandada para a órbita e volta à Terra em 4 de janeiro. No mesmo mês, a China anuncia o plano de realizar seu primeiro voo espacial tripulado. 2003 Em 15 de outubro, a Shenzhou V é lançada para um voo orbital, levando a bordo o primeiro taikonauta (astronauta chinês), Yang Liwei. Ele volta à Terra após 21 horas e 14 voltas ao redor da Terra. 2007 A China lança a Chang’e-1, sua primeira sonda lunar, que orbita a Lua e tira fotos em alta resolução da superfície do satélite natural da Terra. 2008 Zhai Zhigang conclui com sucesso a primeira caminhada espacial de um astronauta chinês. 2010 Em 1º de outubro, a China lança a Chang’e-2, sua segunda sonda lunar.

2011 Em 29 de setembro, a China lança o módulo experimental Tiangong-1 ou “Palácio Celestial”, no primeiro passo rumo à construção de sua estação espacial, prevista para 2020.

2011 Em 1º de novembro, a China lança a Shenzhou VIII para preparar sua primeira operação de acoplamento no espaço.

Fonte do quadro: AFP