Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nasa: cápsula termina voo de teste com pouso no Pacífico

O veículo voltou à Terra, como estava previsto, 4 horas e 24 minutos depois de decolar de Cabo Canaveral com ajuda de um foguete Delta IV

Por Da Redação - Atualizado em 6 maio 2016, 16h08 - Publicado em 5 dez 2014, 16h01

A cápsula não tripulada Orion, da Nasa, pousou no Oceano Pacífico depois de realizar com sucesso seu primeiro voo de teste, anunciou a agência espacial americana. O veículo voltou à Terra, como estava previsto, 4 horas e 24 minutos depois de decolar de Cabo Canaveral, na Flórida, com apoio de um foguete Delta IV.

‘Lá está sua espaçonave, América”, narrou Rob Navias, comentarista da Nasa, enquanto imagens aéreas mostravam, ao vivo, a cápsula pairando no ar com três paraquedas, em direção à água.

A Orion pousou a 1.000 quilômetros da costa mexicana. A nave faz parte do projeto da agência espacial americano de voltar a realizar voos tripulados, com objetivo de levar astronautas a Marte, em um missão ainda sem data definida.

Navias descreveu o voo de testes como “perfeito” e “uma etapa significativa para o programa espacial americano”. Os controladores de voo disseram que o veículo se encontra em condição estável e será retirado da água por uma equipe formada por membros da Nasa, da Marinha americana e da Lockheed Martin, empresa americana fabricante de produtos aeroespaciais.

Continua após a publicidade

Leia mais:

Nasa planeja produzir oxigênio em Marte

Missão árabe planeja chegar a Marte em 2021

Primeiro teste – No voo de teste, a cápsula deu duas voltas ao redor da Terra, percorrendo mais de 96.000 quilômetros e atingindo altitude de 5.800 quilômetros, cerca de catorze vezes a distância da Estação Espacial Internacional (ISS) em relação à Terra. Durante a descida de volta ao planeta, a nave ultrapassou os 32.000 quilômetros por hora, gerando temperaturas de mais de 2.200 graus Celsius – 80% da temperatura que seria atingida por uma missão lunar.

Continua após a publicidade

(Com Agência France-Presse e EFE)

Publicidade