Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fenômeno raro acontece na próxima semana. Saiba como NÃO vê-lo

O trânsito de Mercúrio poderá acontecer na segunda-feira (9), mas observá-lo a olho nu pode causar sérios danos à visão em questão de segundos

Por Marina Rappa Atualizado em 10 dez 2018, 10h46 - Publicado em 6 Maio 2016, 11h32

Na próxima semana, o céu será palco de um raro fenômeno astronômico: o trânsito de Mercúrio, nome dado à passagem do planeta entre o Sol e a Terra. O fenômeno acontecerá na segunda-feira (9) e terá início às 8h12, terminando às 15h42 (horário de Brasília). O problema? Ninguém deverá olhar para o Sol. “O trânsito só poderá ser visto com observação solar segura, conduzida por um especialista. Em hipótese alguma se deve tentar visualizar o fenômeno a olho nu: a radiação solar é extremamente perigosa e causa danos permanentes à visão em questão de segundos”, explica Gustavo Rojas, astrônomo e físico da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Minieclipse – Devido ao seu tamanho diminuto e à grande distância que está da Terra, Mercúrio poderá ser observado como uma pequena bola negra passando em frente ao Sol, sem encobrir o grande astro. Para ver o fenômeno de forma segura, o ideal é utilizar aparelhos específicos com filtros especiais. “A observação segura é feita utilizando filtros astronômicos especiais que bloqueiam 99,999% da luz solar, ou através do método da projeção, na qual se observa a imagem do Sol projetada em uma tela. Não se deve tentar improvisar filtros com materiais caseiros como chapas de raios X, filmes velados, vidro esfumaçado etc.”, diz Gustavo Rojas, astrônomo e físico da UFSCar.

Leia também:

Como observar os resquícios do cometa Halley nesta madrugada

Conheça os eventos astronômicos imperdíveis de 2016

Continua após a publicidade

“O planeta Mercúrio aparecerá como um pequenino disco negro visível sobre o disco solar, com diâmetro aparente 158 vezes menor que o do Sol. Não será possível visualizar o movimento do planeta, já que este levará 7 horas e 40 minutos para cruzar a superfície do Sol”, afirma Rojas.

Raro – De acordo com o astrônomo, o fenômeno é raro, pois exige que a conjunção inferior de Mercúrio (quando o planeta fica “alinhado” com a Terra e o Sol) coincida com a passagem do planeta pelo plano da órbita da Terra em torno do Sol. “Essa coincidência só ocorre algumas vezes por século – 13 a 14, para ser mais exato”, explica. A última vez que o evento pôde ser visto pelos terráqueos foi em 2006. Os próximos serão registrados em novembro de 2019 e, depois, só em maio de 2049.

Diversas entidades brasileiras estão promovendo observações públicas do trânsito na próxima segunda. Entusiastas que não possuem equipamento e desejam ver o raro fenômeno podem buscar as entidades mais próximas no blog do Trânsito de Mercúrio 2016. O portal americano de astronomia Slooh vai transmitir ao vivo o fenômeno a partir das 8 horas (horário de Brasília).

https://www.youtube.com/watch?v=-oBfkkXEAz4

 

Continua após a publicidade
Publicidade