Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Estudo alerta para ‘colapso’ em 2040 sem ações imediatas

Intensificação da mudança climática pode significar o fim da sobrevivência humana no planeta, aponta pesquisadora

Por Sabrina Brito Atualizado em 5 ago 2021, 15h59 - Publicado em 5 ago 2021, 15h47

No ano de 1972, uma pesquisa realizada por cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT) apontou que, em menos de um século, a civilização humana seria vítima de um “colapso”. Agora, um novo estudo aponta que a crise chegará aproximadamente em 2040, caso a humanidade não mude radicalmente alguns comportamentos.

A nova análise, coordenada pela especialista em sustentabilidade da empresa de contabilidade KPMG Gaya Herrington, foca principalmente em aspectos como o aumento significativo de queimadas em alguns países e a incidência de enchentes pela Europa para concluir que o fim da sociedade (e do planeta Terra) como a conhecemos pode estar próximo. De acordo com o estudo, o crescimento econômico global pode chegar ao fim até o final desta década. O colapso viria não muito tempo depois, segundo as projeções mais extremas.

De acordo com Herrington, a pesquisa do MIT indicava a necessidade de agir imediatamente para evitar grandes custos e garantir uma transição suave para um mundo mais verde e saudável. Contudo, isso não aconteceu, e, agora, enfrentamos o pior que a mudança climática tem a oferecer.

O levantamento, assim como diversas outras análises recentes, constata a necessidade urgente de se investir mais em uma economia de fato sustentável, capaz de aliar sucesso econômico com preservação ambiental. Caso contrário, podemos estar frente a frente com o fim precoce de toda a humanidade.

Continua após a publicidade

Publicidade