Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bananas geneticamente modificadas podem combater deficiência de vitamina A

Frutas serão testadas nos Estados Unidos e devem começar a ser cultivadas na Uganda até 2020

Bananas geneticamente modificadas podem ajudar a combater a mortalidade infantil em regiões pobres do mundo. Pesquisadores modificaram a fruta para que ela tenha níveis maiores de betacaroteno, substância convertida em vitamina A pelo organismo. O objetivo é evitar a deficiência dessa vitamina, especialmente em países africanos.

“As consequências da deficiência de vitamina A são severas. Em média, 650.000 a 700.000 crianças morrem em todo o mundo por ano e pelo menos mais 300.000 ficam cegas”, disse James Dale, pesquisador da Universidade de Tecnologia de Queensland e principal autor do estudo, à AFP.

Cerca de 10 quilos da fruta, cultivados perto da cidade de Innisfail, na Austrália, foram enviados ao estado americano e Iowa, onde os primeiros testes humanos serão conduzidos. O experimento vai durar seis semanas e os primeiros resultados são esperados ainda para este ano. De acordo com os pesquisadores, as bananas modificadas devem começar a ser cultivadas na Uganda em 2020.

O projeto, que conta com a participação de cinco doutorandos da Uganda, é financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates, que já investiu 10 milhões de dólares na iniciativa de nove anos. Após os testes em Uganda, os pesquisadores acreditam que o projeto pode ser aplicado em outros países, como Ruanda, Quênia, Tanzânia e República Democrática do Congo.

Leia também:

A comida do futuro

Suplementos vitamínicos: você não precisa deles