Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Avião Solar Impulse 2 pousa na Espanha após voo transatlântico

"É a primeira travessia do Atlântico de um avião solar!", celebrou o piloto suíço Bertrand Piccard, que realizou voo de 70 horas sem combustível

Por Da redação 23 jun 2016, 10h52

O avião Solar Impulse 2 pousou nesta quinta-feira (23) em Sevilha, sul da Espanha, quase três dias depois da decolagem de Nova York. O avião movido a energia solar cumpriu a viagem em 70 horas, tempo menor que a estimativa de voo inicial, entre 90 e 110 horas. “Não posso acreditar. É tão fantástico”, disse o piloto suíço Bertrand Piccard durante comunicação com o centro de controle do avião em Mônaco, transmitida ao vivo pela internet.

“É a primeira travessia do Atlântico de um avião solar!”, celebrou, pouco antes de descer do avião, esgotado, depois da longa viagem solitária. A aeronave pousou pouco antes das 7h40 locais (2h40 de Brasília) no aeroporto de Sevilha, após uma viagem de 6.272 quilômetros sobre o Atlântico, em velocidade média de 50 quilômetros por hora. Este foi o primeiro voo transatlântico de um aeroplano alimentado por energia solar.

Leia também:
Avião Solar Impulse 2 completa 75% do trajeto transatlântico
Avião Solar Impulse 2 faz voo transatlântico sem combustível

O voo a bordo do Solar Impulse 2 pode ser acompanhado ao vivo, graças às câmeras instaladas na cabine, nas asas e na parte de trás do avião. “Bravo, foi magnífico observar”, elogiou em Mônaco o príncipe Albert, que passou a noite no centro de controle, onde os técnicos comemoraram a conclusão da etapa. “Cheguei no meio de uma exibição aérea, foi absolutamente extraordinário, me manteve desperto”, respondeu Piccard.

O Solar Impulse 2 já havia realizado a proeza de cruzar o Pacífico, mas precisou ficar parado por 10 meses no Havaí para reparos em suas baterias. De acordo com um blog realizado pela equipe do Solar Impulse, 90% da missão de completar uma volta ao mundo com o avião está completa, restando aproximadamente três viagens antes que, finalmente, o avião retorne a seu ponto de partida, Abu Dhabi, de onde decolou em 9 de março de 2015 para completar uma viagem de 35.000 quilômetros.

Tecnologia solar – O avião tem quatro hélices movidas à energia fornecida por suas 17.000 placas solares instaladas nas asas. O piloto compatriota André Borschberg, de 63 anos, também é um dos pilotos do avião – mas não comanda a nave neste voo transatlântico. A cada amanhecer, as baterias do avião voltam a se recarregar, após uma noite de voo alimentada pela energia gerada nas placas solares.

Em sua etapa mais longa, o Solar Impulse 2 voou 118 horas de Nagoya (no Japão) até a ilha americana do Havaí. Borschberg foi o responsável por conduzir a aeronave durante essa longa etapa, de 6.437 quilômetros, sobre o Pacífico ocidental, na qual foi batido o recorde de voo ininterrupto mais longo da história.

Os pilotos – Bertrand Piccard, de 58 anos, nasceu em uma família de cientistas e inventores. Seu avô Auguste inspirou o artista Hergé a criar o personagem do professor Girassol nas aventuras de Tintim. Durante a volta ao mundo do Solar Impulse 2, Piccard alterna as etapas com o compatriota André Borschberg, de 63 anos, que pilotou a aeronave durante a etapa mais longa, entre Nagoya (Japão) e o arquipélago do Havaí, no Pacífico: 6.437 quilômetros em cinco dias e cinco noites.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade