Vídeo: Integrante do PCC mata colega sem querer ao manusear arma

Polícia prendeu o suspeito nesta terça; ele é apontado como um dos administradores da facção, responsável por lavar o dinheiro proveniente do tráfico de drogas

Por Eduardo Gonçalves - 12 ago 2014, 20h09

A Polícia Civil de São Paulo prendeu nesta terça-feira um integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) suspeito de ter cometido um homicídio, aparentemente sem querer, em um bar no Guarujá, no litoral paulista, em janeiro deste ano. O crime foi gravado por câmeras de segurança do estabelecimento, na orla da Praia da Enseada, uma das mais movimentadas da cidade. Nas imagens, Rodrigo de Oliveira Moura, de 36 anos, aparece segurando uma metralhadora com silenciador, quando subitamente dispara sem intenção no homem que está sentado ao seu lado – segundo a polícia, a vítima era o dono do bar e mantinha “relações com a quadrilha”. Ele morreu no local.

A investigação concluiu que, antes do incidente, Moura tentou negociar a arma – ele fugiu do local junto com as pessoas que estavam sentadas com ele na mesa do bar.

O suspeito é apontado pelos investigadores como um dos “agentes financeiros” do PCC. Ele era responsável por lavar o dinheiro da facção criminosa, comprando e vendendo apartamentos, lojas de automóveis e estacionamentos. A Corregedoria da Polícia Civil de Santos, que investigava o assassinato, identificou dez propriedades no nome do suspeito e apreendeu um Mustang e uma Harley Davidson nos endereços. Ele foi preso nesta manhã na casa dos pais no bairro de Aricanduva, na Zona Leste de São Paulo.

Publicidade