Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Seis pessoas morrem por dia em confrontos com a polícia

Levantamento mostra também que média no país é de um policial morto por dia

Por Da Redação 10 nov 2014, 12h07

Em 2013, 2.212 pessoas foram mortas em confrontos com a polícia – uma média de seis mortes por dia -, indicam dados da oitava edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pela organização Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O número inclui mortes ocorridas em confrontos entre policiais e suspeitos, disparos acidentais e mortes resultantes de operações para desmatelar ações criminosas. O número é menor do que o verificado no ano anterior, quando 2.332 pessoas foram mortas em enfrentamentos com a polícia no Brasil. A íntegra do documento será apresentada na terça-feira em São Paulo.

Apesar da queda, o órgão avalia que a diferença não indica uma melhora ou tendência de mudança. A organização aponta que é preciso rever o padrão de atuação das forças policiais. O levantamento releva ainda que, nos últimos cinco anos, 9.691 pessoas morreram após confrontos com policiais. O número é cinco vezes maior do que o verificado nos Estados Unidos, onde 7.584 pessoas foram mortas em ações policiais nos últimos vinte anos. Se forem somados os casos em que os policiais agiram também fora de serviço, o total chega a 11.197. Os dados americanos apontam 11.090 mortes em trinta anos.

Em relação à quantidade policiais mortos, houve um aumento em 2013 na comparação com o ano anterior. Foram 490 mortes, 43 a mais do que 2012. A média no país é de um policial assassinado por dia. Desde 2009, 1.170 agentes foram mortos. A maioria das mortes (75,3%) ocorreu quando os policiais não estavam em serviço. O Rio de Janeiro é o Estado com maior número de casos, com 104, seguido por São Paulo (90) e Pará (51).

Confiabilidade – Como parte do anuário, o Fórum apresenta o Índice de Confiança na Justiça Brasileira, apurado pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O estudo aponta que apenas 33% dos entrevistados dizem “confiar ou confiar muito” no trabalho da polícia. O porcentual é três pontos superior ao verificado no ano passado, mas, na avaliação da organização, o número ainda é muito baixo.

Leia também:

O Brasil precisa de uma nova polícia

Continua após a publicidade

Foram entrevistadas 7.176 pessoas em oito Estados. Os policias avaliados como mais honestos pela população local foram os do Rio Grande do Sul, com 62% de confiança dos entrevistados. Em segundo lugar, estão os agentes de Minas Gerais e do Distrito Federal, com 57% da população confiando na idoneidade das forças policiais.

Na média nacional, 51% acreditam que a maior parte dos policiais é honesta. Os amazonenses, por outro lado, são os que mais desconfiam das forças de segurança. A polícia do Amazonas é considerada honesta por 35% dos entrevistados. As pessoas mais velhas (62%) e as que têm maior escolaridade (60%) são as que mais tendem a concordar com a afirmação de que a maior parte dos policiais é honesta.

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública foi criado em 2006 com objetivo de construir um ambiente de cooperação técnica na área de atividade policial e na gestão de segurança pública. O anuário apresenta dados sobre custo da violência, gastos de segurança pública, estatísticas de crimes e violência, efetivo de polícias e população prisional.

(Com Agência Brasil)

Continua após a publicidade

Publicidade