Clique e assine a partir de 9,90/mês

Proteger multidões é o próximo desafio do Brasil

Com quatro grandes eventos internacionais até 2016, o país vai ter de aprender a evitar ataques e atentados como o da Maratona de Boston

Por Alexandre Salvador e Carolina Melo - 20 abr 2013, 11h20

As bombas que explodiram na maratona de Boston põem em evidência um dos maiores desafios que autoridades no mundo inteiro enfrentam: garantir a segurança em eventos que reúnem multidões. Um desafio que o Brasil vai enfrentar quatro vezes entre junho deste ano e agosto de 2016, com a realização da Copa das Confederações, da Jornada Mundial da Juventude, da Copa do Mundo e da Olimpíada do Rio de Janeiro. Os especialistas são unânimes em afirmar que é impossível garantir a segurança com 100% de eficácia em eventos como esses. Maratonas são particularmente complicadas pela extensão, sobretudo quando serpenteiam por dentro das cidades. A maratona de Londres, realizada neste domingo, por exemplo, terá 37 000 participantes e é esperado 1 milhão de espectadores. A Volta da França cobre mais de 3 000 quilômetros e mobiliza 13 000 agentes de segurança.

Para ler a continuação dessa reportagem compre a edição desta semana de VEJA no IBA, no tablet ou nas bancas.

Outros destaques de VEJA desta semana

Publicidade