Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ouça trechos das conversas entre o traficante FB e seus comparsas, policiais e líderes comunitários

Os trechos foram retirados de um conjunto de mais de 1.000 horas de gravação de conversas telefônicas

Por Da Redação - 4 fev 2012, 08h00

Os trechos obtidos com exclusividade por VEJA foram retirados de um conjunto de mais de 1.000 horas de gravação de conversas telefônicas que o traficante Fabiano Atanásio da silva, o FB, travous nos últimos seis anos com seus comparsas e com policiais corruptos.

19/JAN/2008

FB negociou a compra de dois fuzis AR-15 com um grupo de PMs.

PM: “Quero saber como é que vai ficar o arrego (propina) hoje”.

Publicidade

FB: “Agora começou a dar um papo de bandido legal, de homem. Qual material bélico tu tem para negociar?”.

PM: “Amigo, eu tô com dois bicos (fuzis) pra passar, cheios de munição”.

FB: “Vamos te pagar tranquilo e tu ainda vai beber uma Skol, um Red Bull com uísque. Se é AR-15, vou te dar 30.000 reais por cada um. Pagamento à vista sem estresse, pra tu curtir o Carnaval em Angra dos Reis com a família”.

PM: “Tem quantas ratinhas (mulheres) aí? Hoje eu tô querendo distrair a cabeça”.

Publicidade

FB: “Isso é mole pra nós. Dá para fazer um bacanal na viatura”.

23/JAN/2008

O presidente da Associação de Moradores de Vila Cruzeiro relatou a FB que um sobrinho havia atropelado acidentalmente uma mulher na favela. O traficante o ameaçou.

“Chama a família da garota pra ele dar os remédios, senão vou atropelar seu sobrinho da mesma forma. Passar com o carro por cima dele.”

Publicidade

17/OUT/2009

O dia da derrubada do helicóptero da polícia por ordens suas.

Horas antes do abate, em guerra contra uma facção rival em uma favela da Zona Norte do Rio, FB repassava instruções a um capanga via celular. “Joga dois míssil aí, é o Bonde do Fabiano (…) Joga que eu quero escutar o barulho.”

Sabendo que o morro havia sido dominado por seu bando, comemorou…

Publicidade

“Já é Vermelhão (referindo-se à cor de sua facção criminosa) desde pequenininho!!!”

…e ouviu do bandido com quem falava: “Curte tua festa aí. (…) Nós tá arrebentando em nome do FB”.

O chefe se mostrava inteirado de todos os detalhes da operação.”Aí, sei que minha rapaziada pegou um fuzil de presente pra mim que eu tô ligado.”

FB foi pessoalmente à favela tripudiar sobre o bando rival, liderado por Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, então o chefe da Rocinha. Falava em frente a uma webcam.

Publicidade

“É o FB que tá falando. Chama o Nem aí que eu quero falar com o chefe de vocês. (…) Vocês são tudo vacilão. Dou 50?000 pra vocês trocarem tiro com a gente.”

Ouça o trecho da conversa gravada pela polícia, em 17 de outubro de 2009, durante a invasão do bando de ‘FB’ ao Morro dos Macacos, em Vila Isabel, zona norte do Rio. O criminoso conversa com Ilan Nogueira Sales, o Capoeira, e dá a ordem para que lançasse mísseis contra os rivais. Naquela manhã, o helicóptero da PM foi abatido a tiros e espatifou-se num campo de futebol, matando três policiais. No inquérito da polícia, Capoeira é o acusado de ter feito o disparo que derrubou a aeronave.

áudio

Leia também:

Publicidade

Um ‘retrato falado’ do traficante Fabiano Atanásio, o FB

Publicidade