Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Jefferson comenta julgamento do mensalão pela internet

Por Da Redação
3 ago 2012, 17h43

Por Luciana Nunes Leal

Rio – Às vésperas de deixar o hospital, depois de uma cirurgia para retirada de um tumor com “foco maligno” no pâncreas e oito dias de internação, o ex-deputado Roberto Jefferson está atento ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Embora, segundo sua assessoria, não tenha assistido à transmissão na TV, acompanha e autoriza a publicação de comentários em seu blog e no Twitter.

Pivô do mensalão, o presidente do PTB comentou a votação que rejeitou o desmembramento do processo por 9 a 2 e chegou a arriscar uma previsão para o resultado final, nada favorável aos réus. “Ficou longe do empate, apesar de, no fim, a impressão que ficou foi de que a Corte está, sim, dividida. Não duvido que o placar, ou algo próximo, se repita no julgamento do mérito das acusações. E, se assim for, a grande briga está reservada para a discussão sobre as penas a serem impostas aos réus”, analisou Jefferson no blog.

O relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, recebeu novos ataques do petebista. “Os ministros precisam de nervos de aço, mas ontem (quinta-feira) Barbosa parecia estar com os nervos à flor da pele”, disse Jefferson no Twitter e no blog, na manhã desta sexta. “Não é porque ele acha que o jogo está ganho que pode se eximir de jogar o jogo”, completou.

Continua após a publicidade

Jefferson destacou o voto de Marco Aurélio Mello, que seguiu o ministro revisor, Ricardo Lewandovski, e foi favorável ao desmembramento do processo. O petebista salientou o fato de que, apesar de lembrar a praxe de elogiar o ministro de quem vai-se discordar, Mello não citou a manifestação de Barbosa contra a divisão do processo. “O silêncio disse tudo sobre o clima que, já no primeiro dia, Barbosa impôs ao julgamento”, comentou.

“Mesmo acreditando que o julgamento já está com condenação certa, na falta de um voto preparado para decidir uma questão de ordem anunciada há tempos, Barbosa precisa melhorar seu jogo. Afinal, até a novata Rosa Weber tinha mais argumentos para rejeitar a questão levantada por MTB (o advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, que pediu o desmembramento do processo) e mereceu elogios dos colegas, ao contrário de Barbosa, que ficou sem qualquer menção honrosa. A continuar no ritmo de ontem a tese de Barbosa pode até, quiçá, ser vencedora em mais algum ponto, mas o próprio ministro sairá perdedor”, disse Jefferson no blog.

O ex-deputado, que teve o mandato cassado em setembro de 2005, três meses depois de denunciar o mensalão, deixará o Hospital Samaritano no próximo domingo e deverá começar a quimioterapia para combater o foco cancerígeno no prazo de quatro a seis semanas. O tratamento levará seis meses. No processo do mensalão, Jefferson responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, crimes que nega ter cometido.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.