Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Imóvel de presidente da Alerj levanta suspeita de enriquecimento ilícito

Ex-governador Anthony Garotinho rompe com Rodrigo Bacellar e revela que ele proprietáro de imóvel avaliado em 8 milhões de reais em Teresópolis

Por Maiá Menezes, Lucas Mathias
Atualizado em 10 ago 2023, 12h19 - Publicado em 10 ago 2023, 06h00

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e principal aliado do governador Cláudio Castro (PL), o deputado estadual Rodrigo Bacellar (PL) é um dos proprietários de uma mansão avaliada em cerca de 8 milhões de reais, em Teresópolis, na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro. O imóvel fica em um condomínio luxuoso, no bairro de Quebra Frascos, tem cerca de 500 metros quadrados – distribuídos em três pisos – e é equipado com elevador.

Nos últimos meses, a casa passou a ser frequentemente utilizada pelo político para receber colegas da Alerj, secretários de governo, empresários e prefeitos, em reuniões de articulação das eleições de 2024, conforme VEJA apurou. Bacellar chegou a ser visto embarcando em um helicóptero, no heliponto da Lagoa, para se dirigir ao imóvel. A aeronave pertence a um empresário que presta serviços ao governo do estado.

A vida de luxo chama atenção por ser incompatível com os rendimentos do deputado, que, nas eleições de 2022, declarou um pátrimônio no valor de 793 mil reais à Justiça Eleitoral. A situação tem sido denunciada pelo ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, em seu blog e perfil do Instagram. “Tic tac”, ele escreveu anunciando que estava de posse de uma bomba prestes a explodir.

View this post on Instagram

A post shared by Anthony Garotinho (@oficialgarotinho)

Antes de vir a público, a ameaça chegou ao Palácio Guanabara, na última sexta-feira, dia 04. Garotinho desembarcou no Rio em posse de um dossiê contra Bacellar que levanta dúvidas quanto aos sinais de seu enriquecimento, e pode respingar em Castro. Foi recebido pelo secretário de transportes do estado, Washington Reis. O motivo:  o descumprimento de um acordo em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, comandado por seu filho Vladimir. O governador teria se reunido com vereadores para orientar a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentária que trouxe uma modificação incômoda: a redução de 30% para 10%  da  capacidade de remanejamento de verbas pelo prefeito, o que engessa o orçamento do município. Garotinho se irritou com a atuação de Castro. O presidente da Câmara dos Vereadores de Campos é Marquinhos Bacellar, irmão do presidente da Assembleia do Rio.

Continua após a publicidade

O episódio estremeceu ainda mais as relações entre o governador e o presidente da Alerj, que já não andavam das melhores.  Há cerca de vinte dias, o governador demonstrou descontentamento com o lançamento da pré-candidatura do deputado estadual Rodrigo Amorim (União Brasil) à Prefeitura da capital, em 2024. A iniciativa foi desenhada por Bacellar. Declarações recentes dadas pelo deputado sobre a atual administração também causaram mal estar entre os dois, segundo assessores que atuam no Palácio Guanabara.

Bacellar foi secretário de Governo de Castro e é o responsável pelas indicações de, ao menos, seis pastas do atual governo.

Em nota, o presidente da Alerj informou que o imóvel estava em processo judicial quando foi adquirido, “inclusive prestes a ser leiloado devido a inúmeras dívidas”. Afirmou ainda que tem toda a documentação que comprova, “de forma trasparente, a legalidade da negociação da parte que cabe a ele”.

“Muito se viu no Brasil, nos últimos anos, condenações midiáticas e ilações sobre bens e imóveis. Todos os bens do deputado Rodrigo Bacellar são condizentes com sua remuneração, com todas as informações transparentes e disponíveis em seu imposto de renda, sem nada a esconder”, diz a nota.

Continua após a publicidade

Na declaração de bens ele informou , no entanto, os seguintes valores: 150 mil reais em participação societária, 150 mil reais em espécie, e aplicação em renda fixa no valor de 493 mil reais.

Trajetória impulsionada por Castro

Aos 43 anos, Bacellar começou sua trajetória política em sua cidade-natal, a partir legado deixado pelo pai, vereador eleito para três mandatos na Câmara Municipal de Campos. A casa, inclusive, é hoje comandada pelo irmão de Bacellar, Marquinho.

Em 2018, o deputado estadual se elegeu pela primeira vez à Assembleia Legislativa do Rio e ganhou destaque no processo de impeachment contra o ex-governador Wilson Witzel, no fim de 2020. A queda aproximou Bacellar do então vice-governador, Cláudio Castro, que assumiria o comando do estado. Pouco depois, em maio de 2021, o parlamentar foi nomeado secretário de Governo, o que ampliou o caminho para o poder. 

Bacellar ficaria no posto até meados de 2022, quando teve de deixar a secretaria  para se candidatar à reeleição na Alerj. Após um breve retorno à pasta, voltou a ocupar o cargo de deputado e conquistar a presidência da Assembleia, em fevereiro de 2023, com apoio do governador. Nas eleições do ano passado, o parlamentar foi um dos principais articuladores da reeleição de Castro, graças ao trabalho de articulação com prefeitos e lideranças regionais. Com perfil conciliador,  se tornou presença frequente em agendas (algumas bastante festivas) ao lado do chefe do Palácio Guanabara. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.