Clique e assine com 88% de desconto

Greve de servidores federais deve se intensificar nesta 2.ª

Paralisação de professores dura mais de vinte dias e não tem data para terminar

Por Da Redação - 10 jun 2012, 19h49

A greve dos servidores, que já abrange 51 instituições federais de ensino, deve ganhar mais adesões a partir desta segunda-feira.

De acordo com a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), que reúne 37 sindicatos em todo o País, amanhã entrarão em greve os trabalhadores técnico-administrativos em educação nas universidades federais e os funcionários federais do setor de geografia e estatística.

Leia também:

Greve em instituições federais de ensino superior paralisa 49 unidades

Publicidade

Estudantes protestam em apoio a professores de universidades federais em greve, quebram vidraças do MEC e conhecem o gás de pimenta pedagógico de Agnelo Queiroz

Na quarta-feira, será a vez dos servidores do Judiciário Federal, do Ministério Público da União e dos servidores federais da educação básica, profissional e tecnológica.

A greve dos professores das universidades federais, que puxou a mobilização das outras categorias, completou mais de 20 dias e não tem data para terminar. Segundo a Condsef, a greve geral dos servidores federais deve começar em 18 de junho. Os profissionais reivindicam reajuste salarial, recebimento de gratificações e reestruturação de carreiras, entre outras demandas.

(Com Agência Estado)

Publicidade