Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Enchentes, mortes e tragédia: o drama das chuvas no Rio Grande do Sul

A violência da natureza foi alimentada por um ciclone extratropical que brotou no Atlântico

Por Fábio Altman Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 4 jun 2024, 10h06 - Publicado em 8 set 2023, 06h00

As cenas foram terríveis, carregadas da profunda dor que envolve as tragédias. As fortes chuvas que ocorreram no Rio Grande do Sul desde segunda-feira 4 provocaram ao menos 32 mortes, especialmente no centro do estado. O Rio Taquari transbordou e suas águas arrastaram vidas em torno de quarenta municípios. A localidade mais atingida foi o município de Muçum, com mais de 3 000 desalojados. Não havia muito o que fazer, dada a violência da natureza, alimentada por um ciclone extratropical que brotou no Atlântico, atalho para rajadas de vento — contudo, é sempre bom ressalvar, o histórico descaso oficial, associado à pobreza, multiplica os riscos. “Os rios subiram de uma forma surpreendente, nunca vimos algo assim”, disse o governador Eduardo Leite (PSDB), que teve o cuidado de imediatamente visitar as áreas destruídas, próximo à cidade de Lajeado. Ele tem razão — apenas em 1959 houve estrago de monta semelhante. Foi o próprio Leite quem narrou um episódio que ficará marcado como símbolo deste fim de inverno no Sul. “Um dos nossos socorristas, policial da nossa Brigada Militar, resgatava uma senhora sobre o Rio Taquari (em Lajeado) e, perto de chegar à aeronave, o cabo se rompeu. Os dois caíram no rio. Essa senhora perdeu a vida. O policial conseguiu ser socorrido e encaminhado para o hospital”, disse. “Lamentamos profundamente.” Para além do luto das perdas humanas, fica a lição de sempre, comumente abandonada: a prevenção é o melhor — e talvez o único — caminho para evitar dramas como o de agora.

Publicado em VEJA de 8 de setembro de 2023, edição nº 2858

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.