Clique e assine a partir de 9,90/mês

Despejo de esgoto em lagoa é tema de debate no Rio

Por Da Redação - 14 Sep 2011, 20h25

Por Tiago Rogero

Rio – Vereadores de Angra dos Reis, na Costa Verde, fizeram sessão especial hoje para debater a poluição causada no trecho conhecido como Lagoa Azul, um dos pontos mais visitados por turistas na Ilha Grande. No mês passado, o Ministério Público do Rio (MP-RJ) recebeu denúncia sobre o despejo de esgoto e outros poluentes, resultado de reparos em navios e o excesso de transatlânticos na Baía de Ilha Grande.

Por mês, chegam cerca de 80 navios à cidade. Teste feito em março constatou alto índice de coliformes fecais na praia: 1.100 por mililitro. Em Búzios, na região dos Lagos, determinação da secretaria estadual do Ambiente, Marinha e prefeitura limitou os pontos de fundeio de transatlânticos no mar da cidade. Até abril de 2012, apenas dois navios poderão fundear ao mesmo tempo.

No Brasil, há mais de 40 portos para escalas de cruzeiros. Apesar da média de crescimento anual de 22% nos últimos cinco anos, o mercado de cruzeiros marítimos terá aumento na oferta de leitos de apenas 1,6% na próxima temporada (2011/2012), que começa em outubro. O número é recorde, mas, para a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), representa um “sinal amarelo”.

Continua após a publicidade

“O setor pisou no freio, não deu para avançar mais. Não há mais como crescer no Brasil”, afirmou o vice-presidente da Abremar, André Pousada. Na última temporada, 20 navios vieram ao País para cabotagem (navegação em portos do Brasil ou América do Sul por seis meses, em média). Foi a maior quantidade já recebida no Brasil, o que, segundo Pousada, deixou evidente a carência de melhor infraestrutura.

Nos próximos meses, virão 17 navios – 15% a menos. Segundo o vice-presidente, também devido aos “custos de operação mais caros do mundo”, as administradoras de cruzeiros escolheram outros países.

Publicidade