Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Contas da prefeitura de São Paulo fecham 2014 com rombo de R$ 1,8 bi

Déficit triplicou desde o primeiro ano da gestão Haddad, quando estava em R$ 0,6 bilhão

Por Da Redação 29 jul 2015, 10h30

Pelo segundo ano consecutivo, as contas da prefeitura de São Paulo fecharam no vermelho em 2014, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quarta-feira. A diferença entre o dinheiro gasto e o arrecadado pela administração municipal ficou em 1,8 bilhão de reais. O déficit orçamentário da cidade triplicou desde o primeiro ano da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), em 2013, quando o saldo ficou negativo em 0,6 bilhão de reais – o orçamento daquele ano havia sido feito pelo antecessor do petista, Gilberto Kassab.

Leia mais:

Subprefeituras perdem R$ 730 mi na gestão Haddad

Vídeo: homem tira carro parado em ciclovia

Guardas civis de São Paulo serão treinados para combater tráfico de pessoas

Segundo o jornal, o município esperava arrecadar 47,4 bilhões de reais, mas conseguiu apenas 38,4 bilhões de reais. A diferença foi, portanto, de 19%, a maior em cinco anos. Por causa disso, o Tribunal de Contas do Município recomendou que o método de previsão de receitas seja revisto pela equipe econômica. Apesar disso, o órgão não encontrou irregularidades e recomendou à Câmara Municipal a aprovação das contas. O TCM também apontou que as despesas aumentaram 11,5%, em relação com 2013.

Influenciaram no resultado negativo das contas do ano passado o IPTU, cujo reajuste pretendido pelo prefeito foi barrado pela Justiça em 2013, gerando uma arrecadação 11% menor; a queda dos repasses do ICMS; e a redução de 31% da receita com operações urbanas outorga onerosa, que é o valor cobrado para construções acima dos parâmetros regulares, devido ao mercado imobiliário desaquecido.

Apesar do déficit no orçamento, a gestão Haddad diz que o saldo financeiro da prefeitura ficou positivo em 1,6 bilhão de reais graças à reserva de caixa acumulada nas gestões anteriores.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade