Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Em nono disco, a excepcional voz de Rufus Wainwright revisita o pop

Com influências que vão de Queen a Beatles, cantor nova-iorquino sai da música clássica e passeia por baladas românticas com requintes políticos

Por Felipe Branco Cruz - Atualizado em 24 jul 2020, 11h45 - Publicado em 24 jul 2020, 07h00
DISCO – Unfollow The Rules, de Rufus Wainwright (disponível nas plataformas de streaming) //Divulgação

Após dedicar seus dois últimos trabalhos à música clássica, Rufus Wainwright volta ao pop. No nono álbum, o cantor nova-iorquino passeia por influências que vão de Queen a Beatles. Bastante romântico, o artista devota a faixa Peaceful After­noon ao marido, Jörn Weisbrodt, com quem está junto há treze anos. Embora não seja um disco político, ele canta em Devils and Angels (Hatred) que há “ódio no horizonte”, em referência à era Trump. Em Alone Time, Rufus prova que, aos 46 anos, sua voz continua marcante e excepcional.

 

 

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade