Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Com atuações soberbas, ‘The Kill Team’ revela jogos de poder no exército

Inspirado em uma história real, filme adiciona pitadas de ficção a violenta competição de ego entre dois militares no Afeganistão

Por Isabela Boscov Atualizado em 14 ago 2020, 12h06 - Publicado em 14 ago 2020, 07h00

Filho de militar, Andy (Nat Wolff) chega ao Afeganistão determinado a se provar um soldado de valor. Mas suas noções de honra começam a ruir quando sua unidade é assumida pelo sargento Deeks (Alexander Skarsgard), que usa sua perícia e capacidade de liderança, ambas notáveis, em perturbadores jogos de poder e submissão — e cujo desprezo pelos afegãos rapidamente evolui para comportamentos bárbaros. O diretor Dan Krauss dá tratamento ficcional aos fatos que expôs em um documentário homônimo de 2013, com pelo menos um bônus: as atuações soberbas de Wolff e, sobretudo, de Skarsgard. Disponível no NOW e outras plataformas.

Publicidade