Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
VEJA Gente Por Coluna Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas. Editado por João Batista Jr.

“Roupa não define caráter”

Ana Paula da Silva fala sobre a repercussão da escolha de seu look - um vestido decotado vermelho - para a posse como deputada estadual

Por João Batista Jr. com Erich Mafra e Raquel Carneiro - 8 fev 2019, 07h00

A catarinense Ana Paula da Silva, a Paulinha (PDT), de 43 anos, era uma completa desconhecida da nação até revelar todo o seu potencial político em um modelito, digamos, ousado — vestido vermelho com decote abismal — na posse como deputada estadual. Ela falou a VEJA sobre sua súbita (e bombástica) projeção.

Como vê a repercussão de seu decote? Fiquei assustada. Recebo com humildade os comentários respeitosos. Há quem diga que a roupa estava inapropriada. Entendo, é uma opinião. Mas foram os comentários agressivos que me deixaram fora do sério. Disseram que, se eu fosse estuprada, não poderia reclamar. Todos os que passaram do limite serão representados judicialmente.

Como avalia sua roupa? O decote era um pouco além do usual, mas tratava-se de uma solenidade de posse, não de uma sessão ordinária. A celebração permitia vestir-se de maneira confortável e elegante. Roupa não define caráter.

O episódio só trouxe críticas? Não. No privado, recebi umas 100 propostas de casamento. Me ofereceram casa, comida e roupa lavada.

Publicidade

Publicado em VEJA de 13 de fevereiro de 2019, edição nº 2621

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema deste artigo? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br
Publicidade