Clique e assine com 88% de desconto
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

O destino de Najila Trindade

Mesmo com mais prazo, delegada não irá escutá-la novamente

Por João Batista Jr. - Atualizado em 3 jul 2019, 18h50 - Publicado em 3 jul 2019, 18h11

A delegada Juliana Bussacos, da Delegacia da Mulher de Santo Amaro, pediu um novo prazo para concluir o caso da acusação de estupro e agressão contra Neymar feito por Najila Trindade. Mesmo assim, Juliana já decidiu: não irá escutar Najila pela terceira vez por acreditar que não haveria novos elementos a acrescentar. Najila não entregou nenhum dispositivo eletrônico da Apple (iPhone, iWatch e iPad) e deu um celular com pouco tempo de uso para análise. A Polícia Civil não encontrou nada relevante para a investigação no mesmo. Até o momento, a Delegacia da Mulher está inclinada em não denunciar Neymar nem arquivar o caso. A promotoria deve seguir com o caso.

Najila também está sendo investigada pela 11º Delegacia de Polícia de São Paulo, mas agora como autora — e não na condição de vítima. Ela foi ouvida sobre a suspeita de ter feito uma extorsão, em conjunto com o José Edgard Cunha Bueno Filho, seu primeiro advogado. Najila e José Edgard se conhecem há alguns anos e tinham uma relação de amizade. Esse caso não tem data para ser concluído, pois a polícia civil está no início da investigação.

Publicidade