Clique e assine com até 92% de desconto
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Padre Marcelo Rossi: memórias do empurrão

Clérigo vai escrever um livro para falar da vida e de ensinamentos após ter caído do palco onde celebrava uma missa em julho passado

Por João Batista Jr. Atualizado em 3 jan 2020, 10h36 - Publicado em 3 jan 2020, 06h00

O reflexo rápido impediu, em julho do ano passado, que o padre Marcelo Rossi se machucasse muito ao cair de uma altura de 1,80 metro, do palco onde celebrava uma missa. Ao ser empurrado por uma mulher, ele se protegeu com a mão e tombou de lado. O susto fez com que o mais conhecido clérigo brasileiro tivesse vontade de se multiplicar. Ele lançou em dezembro um EP com seis faixas, apenas no mercado digital. E neste ano vai escrever um livro para falar da vida e de ensinamentos pós-atentado, digamos assim: a força, a perseverança e o bom estado de saúde. “A fé protege”, tem dito. A obra promete ser um novo best-seller do padre-cantor-­autor que já vendeu mais de 16,2 milhões de livros.

Publicado em VEJA de 8 de janeiro de 2020, edição nº 2668

 

Publicidade