Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Ghislaine Maxwell: as queixas da madame

Presa desde julho em Nova York, ela era provedora de garotas para o predador sexual Jeffrey Epstein

Por Cleo Guimarães Atualizado em 9 abr 2021, 20h00 - Publicado em 9 abr 2021, 06h00

Presa desde julho em Nova York, Ghislaine Maxwell, provedora de garotas para o predador sexual Jeffrey Epstein, não se conforma em ter tido seu terceiro pedido de fiança negado. Em carta de 31 páginas encaminhada por seus advogados, afirma que é uma “prisioneira modelo” e não merece ser mantida “em condições apropriadas para Hannibal Lecter (o canibal de O Silêncio dos Inocentes), mas não para uma mulher de 59 anos que não representa ameaça para ninguém”. Na lista de queixas entram a “água turva” e a “comida intragável” que estariam fazendo Ghislaine “perder peso e cabelo”. A direção da cadeia rebateu dizendo que ela “não limpa a cela e não dá descarga”. Há motivo para se manter a madame na cadeia: a polícia levou um ano para enfim localizá-la em uma mansão escondida na zona rural de New Hampshire.

Publicado em VEJA de 14 de abril de 2021, edição nº 2733

Publicidade