Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Adnet: alvo preferencial de bolsonaristas após Carnaval

Segundo ele, o presidente é “um mecenas” das notícias falsas

Por João Batista Jr. Atualizado em 28 fev 2020, 09h56 - Publicado em 28 fev 2020, 06h00

Coautor do samba-enredo da São Clemente sobre fake news, o humorista Marcelo Adnet desfilou pela primeira vez no alto de um carro alegórico, caracterizado de Jair Bolsonaro — segundo ele, “um mecenas” das notícias falsas. Indo além das caras e bocas, imitou gestos e situações que fazem parte do anedotário do presidente, como as mãos em forma de arma e as flexões desajeitadas. “Nós, artistas, temos a liberdade de fazer esse tipo de crítica”, decreta. Virou, é claro, alvo preferencial de bolsonaristas no Twitter. O deputado e pastor Marco Feliciano, em um post, disse que Adnet passou vergonha e que deveria ter imitado Lula, acreditando que o enredo era sobre corrupção. Caiu no conto do vigário.

Com reportagem de Cássio Bruno e Maria Clara Vieira

Publicado em VEJA de 4 de março de 2020, edição nº 2676

Publicidade