Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

Kate Winslet atualiza o estereótipo da mulher comum em ‘Mare Of Easttown’

Atriz brigou para que rugas fossem mantidas no cartaz e barriga saliente em cena de sexo ao interpretar uma investigadora na ótima série da HBO

Por Raquel Carneiro Atualizado em 4 jun 2021, 18h36 - Publicado em 4 jun 2021, 16h41

São muitas as cenas em que a atriz inglesa Kate Winslet prende o espectador na minissérie Mare Of Easttown. Na pele de Mare Sheehan, uma investigadora de uma pacata cidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, Kate tem cenas de ação e de puro furor e outras de carinho com o neto. Uma em específico expõe o já notável talento da atriz. Em uma consulta com a pediatra que cuida de seu neto, ela fala sobre o filho, pai da criança, que morreu de forma trágica. Contida, a mulher forte deixa escapar algumas lágrimas, evidenciando o que a casca grosa esconde. Não à toa, Kate já está em todas as listas de favoritas ao Emmy deste ano, assim como a série, que prende com uma narrativa inteligente, sagaz e repleta de camadas. Logo, uma das melhores de 2021.

Disponível na plataforma HBO Go, e numa maratona com os sete episódios neste sábado, 5, às 14h30 na HBO, Mare Of Easttown gira em torno do desaparecimento misterioso de uma garota, e, um ano depois, o assassinato de outra jovem. Como uma boa cidade pequena, ali todos se conhecem, são parentes, ou conhecem os segredos uns dos outros. As relações atrapalham o trabalho de Mare, que, diante de amigos e familiares, precisa manter a postura e a seriedade, sem deixar os sentimentos falarem mais alto.

Com a série, Kate caiu num redemoinho de análises e comentários, bons ou críticos, por, vejam bem, interpretar uma mulher comum. Com pouquíssima ou nada de maquiagem, um olhar cansado e o peso das responsabilidades, a personagem ressuscitou a velha acusação direcionada a Hollywood, na qual “belas atrizes ficam feias”, para, enfim, serem levadas a sério e conquistar um Oscar. Kate, porém, usa o estereótipo da mulher comum a seu favor sendo, simplesmente… uma mulher comum. A atriz revelou que impediu o diretor da série de esconder sua barriguinha em uma cena de sexo e brigou com os retoques feitos em seu rosto no cartaz. “Tenho 45 anos, sei quais rugas tenho em torno dos olhos, coloquem elas de volta”, disse. Mare, então, transita entre a vaidade feminina e a naturalidade, passando também pela masculinização comum às mulheres que trabalham em cargos típicos de homens, como a polícia.

  • Amparada pelo whodunnit – termo para a trama em que se busca descobrir quem é o culpado –, Mare Of Easttown se impõe principalmente como um belo drama social e humano, indo desde as intricadas relações entre pais e filhos, maridos e mulheres, até escolhas entre o que é certo e errado, apesar dos muitos tons de cinza no meio. A versatilidade de Mare, despida de hipocrisia, é a liga que dá sentido à trama. Um papel perfeito para a ótima Kate Winslet.

    Continua após a publicidade
    Publicidade