Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

O que a empolgação tem a ver com o polegar?

O primata empolga o osso na maior empolgação: cena clássica de “2001, uma odisseia no espaço” (1968), filme de Stanley Kubrick Como já terá suspeitado o leitor habitual desta coluna, a resposta à questão apresentada no título acima é: tudo. A empolgação (“entusiasmo, vibração, arrebatamento”) tem com o dedo polegar antigas mas estreitas afinidades latinas. […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 06h42 - Publicado em 12 mar 2013, 14h30

O primata empolga o osso na maior empolgação: cena clássica de “2001, uma odisseia no espaço” (1968), filme de Stanley Kubrick

Como já terá suspeitado o leitor habitual desta coluna, a resposta à questão apresentada no título acima é: tudo. A empolgação (“entusiasmo, vibração, arrebatamento”) tem com o dedo polegar antigas mas estreitas afinidades latinas.

O verbo empolgar e seus derivados, o substantivo empolgação e o adjetivo empolgado, são quase sempre empregados hoje com o sentido mencionado no parágrafo anterior, mas, historicamente, tal acepção surgiu num segundo momento como extensão metafórica de um significado bem diferente (e ainda não caído em desuso): “segurar vigorosamente com a(s) mão(s) ou as garras, agarrar, prender” (Houaiss).

Essa, claro, é a acepção que torna visível a ponte entre o entusiasmo e o dedão, a mesma já existente no latim entre o verbo empollicare, que deu origem ao nosso empolgar, e o substantivo pollex – além, claro, do adjetivo pollicaris (“que mede uma polegada”), fonte à qual o português deu preferência sobre o substantivo latino na hora de batizar o dedo mais grosso da mão. Oposto aos outros quatro, o polegar é o dedo que, como se sabe, permite aos seres humanos agarrar (empolgar) objetos. Todos esses vocábulos saíram da mesma fonte, o verbo pollere, “dominar”.

Se a relação entre as duas palavras continua um pouquinho obscura, talvez não seja de grande proveito recorrer à simplicidade com que o filólogo brasileiro Antenor Nascentes se livra do verbete empolgar em seu Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa: “propriamente, meter o polegar”. Sim, é isso, mas convém explicar melhor. Quem se empolga se deixa metaforicamente agarrar, dominar, prender com firmeza por aquilo – seja o que for – que desperta sua paixão.

Continua após a publicidade
Publicidade