Clique e assine com 88% de desconto
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

Ainda o particípio: existe a palavra ‘abrido’?

“Semana passada surgiu uma dúvida em sala de aula sobre o particípio do verbo ‘abrir’. Pesquisando em alguns sites referentes à língua portuguesa, vi que alguns desses sites utilizam a conjugação ‘abrido’, porém outros dizem que essa forma já foi correta e que não deve mais ser utilizada na formalidade. Afinal, é ‘aberto’ ou ‘abrido’?” (Helia Freitas)

É “aberto”, Helia. Não conheço estudioso que defenda o uso de abrido. A polêmica em torno dessa palavra se dá entre os que sustentam ser o particípio regular do verbo “abrir” uma forma antiga, caída em desuso, e os que alegam que abrido nunca existiu!

De uma forma ou de outra, fuja dele.

A tese de que abrido nunca existiu no português culto parece consistente. Minha gramática normativa preferida, a de Evanildo Bechara, não menciona o assunto, mas a “Nova gramática do português contemporâneo”, de Celso Cunha e Lindley Cintra, sim.

Publicidade

A dupla de autores é veemente ao listar o verbo “abrir” no grupo dos que têm “apenas particípio irregular, não tendo conhecido jamais a forma regular em -ido”. Nesta categoria estão os verbos dizer (cujo particípio é “dito” e não dizido), fazer (“feito” e não fazido) e escrever (“escrito” e não escrevido), entre outros. O mesmo vale para os verbos derivados destes, como desdizer, refazer, sobrescrever etc.

A defesa de “aberto” como único particípio histórico do verbo “abrir” inclui até a localização da fonte do possível mal-entendido: o adjetivo desabrido, “rude, violento”, existe acima de qualquer dúvida. No entanto, afirmam os autores, “não é particípio regular de ‘desabrir’, mas forma reduzida de desaborido, ‘sem sabor’, provavelmente de origem espanhola”.

Será? A etimologia de “desabrido” é um vespeiro dos mais controversos, mas não há dúvida de que Cunha e Cintra, gramáticos de respeito, fulminam com brio o esquisito abrido.

*

Publicidade

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Às segundas, quartas e quintas-feiras o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br (favor escrever “Consultório” no campo de assunto).

Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Assine para ter acesso livre às reportagens, vídeos e colunistas do site e da revista VEJA.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Você ainda não tem acesso a esta marca. Escolha uma das ofertas abaixo para assinar

melhor oferta

Digital + Revista

Tenha acesso livre a todo conteúdo de VEJA no site e no app, e ainda receba a revista impressa semanalmente em seu endereço.

Apenas R$ 29,90/mês

melhor oferta

Digital Radar

Saiba antes, e por muito menos, o que acontece de mais relevante nos bastidores da política e da economia.

Apenas R$3,90/mês

Com o PicPay você pode acessar a todo o conteúdo digital da Abril

Acesso ilimitado aos sites, com reportagens das revistas e conteúdos exclusivos online.

Acesse quando e onde quiser. Cancele a qualquer momento.