Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Sensacionalista Por Redação Isento de verdade

Governo implanta o Escola sem Verba

Para pôr fim ao marxismo, o melhor mesmo é cortar o capital

Por Sensacionalista 10 Maio 2019, 07h00

Depois da Escola sem Partido que Não Seja o Meu, nesta semana o governo Bolsonaro anunciou um novo projeto: o Escola sem Verba. Mais uma vez, trata-se de uma questão de viés ideológico. Para pôr fim ao marxismo, o melhor mesmo é cortar o capital. E não só das universidades. O ensino básico, que parecia ser o foco do investimento, também está minguando. Agora, em vez de ler e escrever e fazer contas, como o presidente Bolsonaro havia defendido, o governo prefere que os alunos só aprendam a usar as digitais. E bater continência, já que os colégios militares não terão cortes.

Enquanto isso, o ministro da Educação, depois de escorregar no português e escrever “incitar” com S, tropeçou na literatura. Chamou o escritor Franz Kafka de “kafta”. Especula-se que as verbas da Educação migrem para o aprendizado de ministros.

Publicado em VEJA de 15 de maio de 2019, edição nº 2634

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema deste artigo? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br
Publicidade