Clique e assine a partir de 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Manuela: Bolsonaro deve sair das redes, ‘onde o povo não pode comparar’

Vice de Haddad (PT) votou em Porto Alegre pela manhã e defendeu “confronto de ideias”

Por Paula Sperb - Atualizado em 7 out 2018, 14h24 - Publicado em 7 out 2018, 09h50

A candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT), a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB), defendeu que seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL), saia das redes sociais, espaço onde “o povo não pode comparar”, e participe dos próximos debates televisivos. Pesquisas indicam que Bolsonaro e Hadadd devem se enfrentar em um segundo turno.

Manuela votou pela manhã em Porto Alegre, no colégio Santa Inês, no bairro Petrópolis. Ela estava acompanhada de Miguel Rossetto (PT), candidato a governador do Rio Grande do Sul, com quem tomou o tradicional café da manhã no dia de eleição, e de Abigail Pereira (PCdoB), candidata ao Senado.

“Esperamos que nosso adversário tenha coragem de se apresentar diante do público para que a gente possa confrontar as ideias e que saia apenas do ambiente das redes sociais em que o povo não pode comparar. É isso que a gente espera: que o confronto de ideias seja feito e não o confronto físico, não a violência nas ruas”, disse Manuela a jornalistas presentes na sua seção eleitoral.

Manuela também afirmou que, no primeiro turno, o combate às notícias falsas que circulam na internet e Whatsapp teve “pouca velocidade” e espera que isso mude no segundo turno.

“Sei que não existe como as mentiras serem disseminadas na dimensão que elas são sem financiamento. Portanto, mais que os autores das mentiras, nós queremos saber quem financia essa baixaria”, defendeu.

Manuela também comentou sobre ter desistido de concorrer a presidente para ser vice de Haddad. “Nós sempre apresentamos a ideia de que há necessidade de construção da unidade do campo popular, do campo democrático. Creio que nesse desfecho do primeiro turno, mais uma vez se comprova acertada nossa decisão. Precisamos de mais força para derrotar aqueles que não defendem a democracia, que não defendem as trabalhadoras e trabalhadores, que não defendem e não amam o Brasil”, disse.

Manuela irá almoçar com seu marido, o músico Duca Leindecker, sua filha, enteado e familiares. Após o almoço, ela viaja a São Paulo para acompanhar a agenda de Haddad.

O local de votação de Manuela contou com reforço da Brigada Militar (a PM gaúcha) e pelo menos um agente federal estava acompanhando a candidata.

Continua após a publicidade
Publicidade