Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

USP – Não há divisão nenhuma! Maioria quer polícia no campus

Uma reportagem sobre a USP na Folha desta terça começa assim: “Dois atos marcados para hoje ilustram como a comunidade da USP está dividida em relação à presença da Polícia Militar no campus. De um lado, às 17h, um evento organizado por redes sociais pretende reunir estudantes que apóiam a PM. De outro, no mesmo […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 10h19 - Publicado em 1 nov 2011, 06h27

Uma reportagem sobre a USP na Folha desta terça começa assim:
“Dois atos marcados para hoje ilustram como a comunidade da USP está dividida em relação à presença da Polícia Militar no campus. De um lado, às 17h, um evento organizado por redes sociais pretende reunir estudantes que apóiam a PM. De outro, no mesmo horário, estudantes que invadiram um prédio da FFLCH convocaram uma assembléia para decidir se devem ou não deixar o local.”

A palavra é forte, mas não há outra: é MENTIRA! A USP não está dividida coisa nenhuma! A esmagadora maioria dos alunos é favorável à presença da PM. Quem se opõem são as correntes minoritárias de extrema esquerda, que reúnem alguns gatos-pingados entre os alunos, e a direção do Sintusp, também dominado por sectários. Além dos traficantes.

Quem provocou o confronto com a polícia, aliás, foi o sindicato. Ontem, a Congregação da FFLCH se reuniu e criticou a presença da PM no campus, afirmando que ela “extrapolou”. É uma ignomínia, um acinte à verdade, uma mentira descarada. A POLÍCIA FOI AGREDIDA POR BANDIDOS!

Manifestações
Uma das Malfaldinhas uspianas — publico só o primeiro nome: Amanda — me enviou ontem um comentário, tentando ser desafiadora, como se eu desconhecesse o movimento estudantil:
“Reinaldo, vc viu amanhã vai haver um ato pró-PM na USP? É a vez de por em xeque seu argumento de que são minorias que se manifestam. Pensa: se os que são a favor não passar de 300 na manifestação como ficará o seu recorrente argumento de que na manifestação tinha 600 alunos esquerdistas, o que respresenta 0, 0… da comunidade USP. Pensa!”

Assim como o “pensamento”, a língua em que ela se expressa também é de sua inteira responsabilidade. Vamos ver. Amanda, preste atenção porque eu só vou explicar uma vez. Maiorias e minorias, querida, não se medem entre os que estão nas praças e avenidas da USP, compreende?. O cotejo tem de ser dar entre os que estão nas salas de aula, estudando e se esforçando, e os que estão vagabundeando, tentando fazer a “revolução socialista”, depois, claro!, de comer sucrilho e tomar Toddynho comprados pelo papai reacionário…

A maioria que quer aula — e que assiste às aulas — nem mesmo reconhece o fórum de vocês por uma razão óbvia, correta e legítima: é uma instância manipulada, em que vigora  a vontade da… minoria! Amandinha, em que outro lugar do mundo, por exemplo, gente que se diz marxista ainda domina aparelhos sindicais? Só na USP! Em Pequim, nem sindicatos existem…

Eu não sei se haverá 10, 15, 20 ou 20 mil alunos favoráveis à PM. O que sei, moça, é que a maioria silenciosa quer estudar. E estuda! Até acho uma pena que ela não goste de sair às ruas de vez em quando. Só para que você soubesse o que é, realmente, uma maioria.

Continua após a publicidade
Publicidade