Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Sem a política, sobra a ditadura. A gente escolhe o quê?

Ainda vou tratar com mais vagar a coisa. Mas faço uma primeira abordagem. O ajuste fiscal é necessário?  É, sim! As medidas que estão sendo votadas, na sua essência e no seu mérito, são absurdas? A resposta é “não”. Como se explica, então, a posição da esmagadora maioria da oposição e das centrais sindicais? Bem, […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 11 fev 2017, 12h06 - Publicado em 13 maio 2015, 20h54

Ainda vou tratar com mais vagar a coisa. Mas faço uma primeira abordagem. O ajuste fiscal é necessário?  É, sim! As medidas que estão sendo votadas, na sua essência e no seu mérito, são absurdas? A resposta é “não”. Como se explica, então, a posição da esmagadora maioria da oposição e das centrais sindicais?

Bem, a das centrais, para ser entendida, não requer muita prosopopeia. Defendem um ponto de vista que é do interesse das corporações que representam. E as oposições?

Vamos lá: incompreensível é o posicionamento do governo, não é? Se a questão do ajuste não tivesse estado no centro do debate eleitoral, talvez se pudesse esperar um comportamento mais compreensivo. Ocorre que Dilma venceu a disputa por margem bastante apertada atribuindo ao adversário intenções, segundo ela, malévolas, que estão agora na essência do pacote fiscal.

Obviamente, o PT não pode ganhar, quando faz promessas de estelionatário e quando põe em prática o estelionato.

Continua após a publicidade

Além de votar contra, a obrigação mínima da oposição é desgastar o governo o máximo possível. Isso é só política. E, sem política, o que se tem é ditadura. É tão simples!

Publicidade