Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

“O MENINO DO MEP” E GENTE QUE GARGALHA

Segundo o cineasta Silvio Tendler, Lula só contou naquela roda descontraída de pessoas que gargalhavam que tentara estuprar o “Menino do MEP” para tirar um sarro da cara do americano — que não falava português. Se era para chocar o dito-cujo com as suas brincadeiras, suponho que alguém vertia para o inglês aquelas invenções edificantes. […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 16h20 - Publicado em 30 nov 2009, 05h55

Segundo o cineasta Silvio Tendler, Lula só contou naquela roda descontraída de pessoas que gargalhavam que tentara estuprar o “Menino do MEP” para tirar um sarro da cara do americano — que não falava português. Se era para chocar o dito-cujo com as suas brincadeiras, suponho que alguém vertia para o inglês aquelas invenções edificantes. Tendler diz não ter certeza de que Cesar Benjamin estivesse presente. Então pergunto: quem criava a versão em inglês daquela magnífica narrativa? Com que verbo  os alegres convivas procuraram enrubescer o puritano?

Minhas dúvidas ainda não acabaram. Caso se parta do princípio de que se vai contar uma história de estupro para chocar um americano, supõe-se que o choque decorra do fato de que o dito-cujo não vê o estupro como coisa aceitável da sua cultura. Por alguma razão, então, afirmava-se lá que seria algo aceitável na nossa.

Entendeu, Tender, ou quer um desenho?

Publicidade