Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Mais Enem – Vejam mais uma vítima do baguncismo do ministério de Haddad

No Estadão: Questionamentos sobre a redação marcaram as últimas edições do Enem, mas neste ano foi a primeira vez que o MEC assumiu ter alterado notas de candidatos e dado vista a correções. Assim que estudantes começaram a ter acesso ao espelho das avaliações, surgiram situações no mínimo curiosas. É o caso da estudante carioca […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 09h45 - Publicado em 15 jan 2012, 06h31

No Estadão:
Questionamentos sobre a redação marcaram as últimas edições do Enem, mas neste ano foi a primeira vez que o MEC assumiu ter alterado notas de candidatos e dado vista a correções. Assim que estudantes começaram a ter acesso ao espelho das avaliações, surgiram situações no mínimo curiosas. É o caso da estudante carioca Bianca Peixoto Lucema, de 19 anos. O primeiro corretor atribuiu 800 pontos em uma escala que vai até 1 mil. O segundo avaliador decretou que ela havia “fugido ao tema” e deu zero. O terceiro corretor atribuiu 440, a nota final.

Apesar de Bianca ter entrado com recurso na Justiça, a nota não foi alterada. E a página de correção encaminhada pelo MEC à estudante suscitou outra dúvida. Num trecho, o texto afirma que a nota dela é 680, e não 440. O MEC alegou que foi apenas erro de digitação, mas Bianca entrou com uma nova ação. A Justiça determinou então que a nota fosse corrigida para 680, o MEC recorreu, mas a juíza manteve a decisão sobre alteração – o que ainda não foi acatado pela pasta. Desolada, ela lamenta ter perdido a vaga em Medicina. “Consegui boas médias nas outras áreas, mas por uma injustiça vou ter de estudar mais.” A redação de Bianca foi encaminhada para quatro corretores independentes convidados pelo Estado para que avaliassem o texto. Todos utilizaram a matriz de competências adotada pelos corretores do Enem, assim como a mesma escala de notas (mais informações nesta página).

As notas dadas pelos convidados variaram entre 760 e 920 pontos. Na opinião do professor Benedito Antunes, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), o texto merece boa nota. “A redação revela abordagem pertinente do tema, ainda que parcial, e bom domínio da língua padrão.”
(…)

Publicidade