Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

LEIAM ABAIXO

— Relatório preliminar de órgão do Ministério da Justiça diz que Dilma aceita debater a descriminação das drogas. É mesmo? Ela avisou isso aos eleitores em 2010? Vai avisar em 2014?; — Se terroristas estiverem ligados a uma rede, é ruim; se não estiverem, pode ser ainda pior. Ou: Façamos de conta que eles eram […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 06h25 - Publicado em 20 abr 2013, 09h07

Relatório preliminar de órgão do Ministério da Justiça diz que Dilma aceita debater a descriminação das drogas. É mesmo? Ela avisou isso aos eleitores em 2010? Vai avisar em 2014?;
Se terroristas estiverem ligados a uma rede, é ruim; se não estiverem, pode ser ainda pior. Ou: Façamos de conta que eles eram budistas!;
VEJA teve acesso ao relatório sobre as ações de Rosemary na Presidência; íntima de Lula ameaça botar a boca no trombone;
Polícia de Boston anuncia prisão de segundo suspeito de atentado terrorista;
Ao ver Ahmadinejad e Raúl Castro, o diabo se manda da posse de Maduro: “Com essa corja, não me misturo”;
Maduro saúda o “deus” Chávez e diz querer falar até com o diabo;
Dilma, ao lado de Evo, que mantém sequestrados 12 brasileiros, saúda o ditador Maduro;
“Mataram a fomiguinha! Que dó!”. Ou: “Matou?” “Mati!”;
14 e 15 anos. Mataram uma idosa a pauladas e feriram gravemente seu marido. Mandem os dois “meninos” para a casa dos deslumbrados do ECA!;
Dirceu organizou e controlou o mensalão, diz acórdão do STF;
Venezuela – Dilma Rousseff embarca alegremente na nau dos insensatos e vai referendar um regime ditatorial e corrupto que mata, censura e esmaga a oposição;
Recontagem evidencia fraqueza e falta de legitimidade de Maduro;
Um dos suspeitos do atentado em Boston é morto pela polícia;
Milhares vão às ruas contra Cristina Kirchner e a “domestikação” da Justiça;
Essa besteira charmosa da lista dos 100 mais influentes… Ou: Alex Atala, o chefe de cozinha, é mais “influente” do que Dilma, a chefe de estado

Publicidade