Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Esquerdas que mamam nas tetas do governo promoverão ato em favor de Dilma em dia útil

Faz sentido! Afinal, CUT, UNE, MST e MTST mamam nas tetas do governo e não precisam trabalhar para ganhar a vida

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 23h53 - Publicado em 10 dez 2015, 16h10

Pessoas favoráveis ao impeachment da presidente Dilma têm o que fazer. Mesmo que tenham perdido o emprego em razão da crise econômica, deram um jeito de ganhar a vida honestamente. Já os que defendem um regime em que só a roubalheira é maior do que a incompetência, caracterizado por juros, inflação e recessão a níveis nunca experimentados — não ao mesmo tempo! —, bem…, esses estão, por enquanto ao menos, com a vida ganha. E querem que o governo continue.

Assim, a manifestação em favor do impeachment da presidente Dilma, promovida pelo Movimento Brasil Livre, pelo Vem Pra Rua e por outros grupos, está marcada para domingo, dia 13. E as esquerdas? Quando vão às ruas para o “Fica Dilma”? Ora, em plena quarta-feira, dia 16.

A CUT, a UNE, o MST e o MTST prometem realizar nesse dia “a maior mobilização da esquerda brasileira contemporânea desde o impeachment de Collor”. Uau!!!

A cara de pau é de tal sorte que não se envergonham de assumir que aderiram ao impeachment de Collor, que lhes parecia legítimo, mas consideram “golpe” o eventual impedimento de Dilma.

O ato terá três eixos principais: em defesa do mandato da presidente Dilma Rousseff, pelo fim do ajuste fiscal e pela saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. De acordo com o presidente da CUT, Vagner Freitas, os movimentos sociais optaram pelo dia 16 por ser uma data próxima à manifestação dos grupos pró-impeachment. Assim, segundo Freitas, “se valoriza a democracia”.

Os organizadores afirmam que o ato da esquerda será nacional, com destaque para a cidade de São Paulo. O líder do MTST, Guilherme Boulos, garante que mais de 50 mil pessoas devem participar do protesto na capital paulista.

Que coisa, né? Curiosamente, MST, MTST, UNE e CUT recebem verba pública.

Ah, sim: promovendo um protesto num dia útil, as esquerdas impõem uma perda à esmagadora maioria do país, que é favorável ao impeachment.

Não deixa de ser didático.

Continua após a publicidade
Publicidade