Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Demorou, mas governo Obama descobriu que havia um filoterrorista como relator da ONU

Leiam o que informa a Agência Efe. Volto em seguida: O Governo dos Estados Unidos pediu nesta terça-feira a saída do relator especial da ONU para a situação dos palestinos, Richard Falk, por sua declaração de que existiria uma versão oculta dos atentados de 11 de setembro de 2001. A embaixadora americana para as Nações […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 13h03 - Publicado em 25 jan 2011, 22h39

Leiam o que informa a Agência Efe. Volto em seguida:
O Governo dos Estados Unidos pediu nesta terça-feira a saída do relator especial da ONU para a situação dos palestinos, Richard Falk, por sua declaração de que existiria uma versão oculta dos atentados de 11 de setembro de 2001. A embaixadora americana para as Nações Unidas, Susan Rice, afirmou que os comentários do acadêmico americano são “desprezíveis e profundamente ofensivos”, condenando-os “de maneira enérgica”.

“Na minha opinião, os recentes comentários do senhor Falk são tão nocivos que, a todo mundo, deveria ficar claro que não pode continuar em um cargo em que representa a ONU”, assinalou a diplomata em comunicado. Ela lembrou que várias delegações abandonaram o plenário da Assembléia Geral da ONU em setembro passado, quando o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, fez declarações similares sobre os atentados contra Nova York e Washington. Susan Rice, que registrou um protesto oficial perante a ONU, considerou que os comentários de Falk sobre o 11 de Setembro superam inclusive o “enfoque parcial e politizado” com que o acadêmico costuma tratar suas responsabilidades como relator da situação dos direitos humanos em território palestino.

Comento
Richard Falk é um vagabundo moral da pior espécie. Não é relator da ONU coisa nenhuma! Comporta-se como um militante antiamericano e, surpresa!, anti-Israel — ou anti-semita, sei lá eu, embora seja judeu. Aliás, essa sua condição é freqüentemente lembrada para tentar dar a suas posições, sempre favoráveis ao terrorismo palestino e contrárias aos israelenses, o estatuto de verdade absoluta. A coisa funciona mais ou menos assim: “Se ele, que é judeu, está culpando os judeus, então…”

“Então” coisa nenhuma! Nem os judeus estão livres do anti-semitismo, embora, nesse caso em particular, a patologia seja, de fato, um tantinho mais complexa. A matéria da Efe não deixa claro o que Falk afirmou. Esclareço. Segundo este senhor, os atentados do 11 de Setembro de 2001 não passaram de uma tramóia americana para demonizar o mundo islâmico. Entenderam?

Só agora o governo Obama descobriu quem é o cara? Sei há mais tempo. (clique   aqui). Num dos vários posts que escrevi sobre este senhor, há este trecho, do dia 20 de março de 2009:
“Sabem quem é o ‘judeu’ Richard Falk, além de professor emérito de Direito Internacional na Universidade de Princeton? É o autor do prefácio do livro New Pearl Harbor, de David Ray Griffin. E qual é a tese de Griffin, absolutamente endossada pelo delinqüente Richard Falk? A de que o 11 de Setembro de 2001 pode ter sido uma tramóia… AMERICANA. Sim, vocês leram direito. Para Briffin e Falk, tudo não passou de um armação americana. (…) FALK PEDIU UMA INVESTIGAÇÃO INTERNACIONAL INDEPENDENTE SOBRE O 11 DE SETEMBRO.

Susan Rice está surpresa? Eu não estou. Falk já deixou por escrito o que afirmou. Essa é a qualidade moral de um relator da ONU.

Continua após a publicidade
Publicidade