Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

De 2004 a 2010, entidades sem fins lucrativos receberam R$ 23 bilhões dos cofres do governo federal

Por Catarina Alencastro e Carolina Brígido, no Globo: O volume de recursos repassados do governo federal para entidades sem fins lucrativos vem aumentando ano a ano. De 2004 a 2010, as ONGs receberam dos cofres públicos um total de R$ 23,3 bilhões. Nesse período, os repasses aumentaram 180%. Além das ONGs, os partidos também entram […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 10h28 - Publicado em 18 out 2011, 04h59

Por Catarina Alencastro e Carolina Brígido, no Globo:
O volume de recursos repassados do governo federal para entidades sem fins lucrativos vem aumentando ano a ano. De 2004 a 2010, as ONGs receberam dos cofres públicos um total de R$ 23,3 bilhões. Nesse período, os repasses aumentaram 180%. Além das ONGs, os partidos também entram no bolo das entidades sem fins lucrativos que recebem recursos governamentais. E tiveram, no período, um aumento crescente da verba embolsada, passando de R$ 112,6 milhões em 2004 para R$ 160 milhões no ano passado.

A Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que este ano tudo indica que haverá um decréscimo nos repasses. A projeção para 2011, levando em conta a média mensal, é de R$ 4,1 milhões. O órgão chama atenção, ainda, para o fato de que o universo de entidades sem fins lucrativos é bem mais amplo que o de ONGs, pois inclui, por exemplo, fundações de apoio a universidades e fundos, inclusive o partidário.

A entidade sem fins lucrativos que figura no topo do ranking desde 2006 é a Fundaçâo Butantan, que produz vacinas e imunizantes amplamente usados pelo governo. Só em 2010 o Butantan recebeu R$ 879 milhões. Outras que estão sempre entre as entidades que mais recebem dinheiro público são a Fundação de Seguridade Social (Geap), a Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPDQ), a Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Sincrotron e a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto.

Verba do fundo partidário também cresce
Além das ONGs, a cada ano a parcela de dinheiro público que compõe o Fundo Partidário engorda. Neste ano, estão previstos gastos de R$ 265,3 milhões – que, se forem realmente investidos, constituirão um recorde. Até 24 de agosto deste ano, saíram R$ 119 milhões dos cofres públicos para financiar os partidos. O Fundo Partidário também é composto por valores pagos em multas pelos próprios partidos à Justiça Eleitoral. Aqui

Publicidade