Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Alckmin e a prova de autoridade: espionagem no shopping derruba diretor do DHPP

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deu uma prova de autoridade — e está de parabéns por isso! — e afastou, nesta segunda-feira, Marco Antonio Desgualdo do comando do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). O motivo oficialmente alegado pela Delegacia Geral da Polícia Civil, da qual ele próprio já foi […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 20 Feb 2017, 17h20 - Publicado em 14 Mar 2011, 18h59

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deu uma prova de autoridade — e está de parabéns por isso! — e afastou, nesta segunda-feira, Marco Antonio Desgualdo do comando do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). O motivo oficialmente alegado pela Delegacia Geral da Polícia Civil, da qual ele próprio já foi o chefe, é “quebra de lealdade”.

Segundo reportagem da VEJA desta semana (leia post aqui), ele integrou o grupo de delegados que requisitou ao Shopping Higienópolis imagens do circuito interno em que Antonio Ferreira Pinto, secretário de Segurança, se encontra com o repórter Mário Cesar Carvalho, da Folha. Dias depois, reportagem do jornalista denunciava a venda de dados sigilosos por um funcionário da Segurança, o sociólogo Túlio Kahn, que foi demitido. Os adversários de Ferreira Pinto na polícia usaram as imagens para acusá-lo de ser a fonte da reportagem, tentando desestabilizá-lo. Por que ele precisaria se encontrar pessoalmente com o repórter e em local público é um desses mistérios inexplicáveis da acusação.

Desgualdo teria negado integrar o grupo que foi pessoalmente ao shopping em busca da fita, mas admitido que sabia da operação. Mesmo assim, não informou seus superiores  — e um deles é o próprio Ferreira, alvo da espionagem ilegal.

“Nós agiremos com absoluta firmeza e responsabilidade nesse caso. Então, se alguém desvirtuou seu exercício policial nesse caso, vai ser punido. Agora, vamos aguardar, até por respeito à Comissão Corregedora, aguardar o término desse trabalho.”

Continua após a publicidade

É o caminho para que a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, apesar de todas os problemas, continue a ser um exemplo para o resto do país.

Publicidade