Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

A mais nova versão dos EUA para a morte de Bin Laden…

No Estadão: Os EUA continuaram ontem a retificar a versão inicial apresentada sobre a operação dos comandos Seal da Marinha para matar Osama bin Laden. A Casa Branca primeiro dissera que os soldados estavam “sob fogo intenso durante toda a operação” no complexo de Abbottabad. Ontem, fontes do governo afirmaram que os únicos disparos feitos […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 12h04 - Publicado em 6 Maio 2011, 07h13

No Estadão:
Os EUA continuaram ontem a retificar a versão inicial apresentada sobre a operação dos comandos Seal da Marinha para matar Osama bin Laden. A Casa Branca primeiro dissera que os soldados estavam “sob fogo intenso durante toda a operação” no complexo de Abbottabad. Ontem, fontes do governo afirmaram que os únicos disparos feitos contra os comandos partiram de uma pistola que estava com Abu Ahmed al-Kuwaiti, o mensageiro de Bin Laden.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, havia declarado, na segunda-feira, que a troca de tiros entre americanos e militantes durou 40 minutos, tempo total da operação. No entanto, as novas informações – passadas por fontes que pediram anonimato – indicam que, pouco após o pouso dos helicópteros na fortaleza, Kuwaiti teria sido baleado e morto pelas tropas.

Em seguida, nenhum disparo teria sido feito pelos militantes.

Ao aproximarem-se da residência principal do complexo, onde estava Bin Laden, comandos avistaram o irmão do mensageiro. Os soldados disseram que ele estava prestes a abrir fogo e o mataram na hora. Depois, enquanto subiam as escadas da mansão, assassinaram Khalid, o filho do líder da Al-Qaeda, que teria corrido na direção deles.

Há ainda novas informações sobre o momento em que Bin Laden foi morto. Segundo Washington, um fuzil de assalto AK-47 e uma pistola Makarov – ambos de fabricação russa – estariam “ao alcance” do terrorista. Os soldados, então, dispararam e mataram Bin Laden. A mulher que estava a seu lado foi ferida na altura do joelho.

Autoridades americanas disseram que, como os soldados foram alvo de disparos logo no início da ação, o comando da operação passou a trabalhar com a possibilidade de todos os residentes do complexo estarem armados. Além da morte do líder da Al-Qaeda e mentor dos atentados de 11 de Setembro, o objetivo da missão era coletar o máximo de informação de inteligência possível para continuar o desmantelamento da rede terrorista ao redor do mundo. Aqui

Continua após a publicidade
Publicidade