Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Vídeo é prova inequívoca de acusações de Moro, diz Dino

Governador do Maranhão, que é ex-juiz federal, lembra que segurança do presidente não é feita pela PF

Por Mariana Muniz 12 Maio 2020, 21h34

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), chamou de “prova inequívoca” da veracidade das acusações feitas pelo ex-ministro Sergio Moro os trechos do vídeo da reunião do conselho de ministros do último dia 22 de abril, exibido nesta terça-feira. 

“Pelo que está sendo narrado, o vídeo é uma prova inequívoca quanto à veracidade das acusações de Sérgio Moro”, afirmou o governador ao Radar.

No vídeo da reunião do conselho de ministros, o presidente Jair Bolsonaro teria defendido trocas no comando da Polícia Federal do Rio para evitar que familiares e amigos seus fossem “prejudicados” por investigações em curso.

“A Polícia Federal é a polícia judiciária da União, ou seja, realiza investigações de crimes que serão julgados pelo Poder Judiciário. Logo, o superintendente da Polícia Federal do Rio nada tem com a segurança dos filhos do presidente”, afirmou.

Dino lembra que quem garante a segurança do presidente e de seus filhos é o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comandado pelo general Augusto Heleno. Nada a ver com a Polícia Federal.

“Assim, fica claro que a preocupação de Bolsonaro não era com segurança e sim com investigações”, comentou.

Segundo fontes que assistiram à gravação, na mesma reunião a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos Damares Alves defendeu a prisão de governadores e prefeitos. Bolsonaro, como mostrou o Radar, chamou o governador de São Paulo, João Dória, de ‘bosta’ e pessoas do governo do Rio de Janeiro de ‘estrume’

Continua após a publicidade
Publicidade