Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem segundo tempo

O polêmico contrato entre a CPI da Petrobras com a Kroll para investigações paralelas não será renovado. O contrato, no valor de 1,2 milhão de reais e celebrado em abril, causou espécie. Nem os integrantes da CPI sabem direito o que foi apurado – somente o presidente da CPI, Hugo Motta, da tropa de choque […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 00h43 - Publicado em 13 ago 2015, 16h31
Contrato encerrado

Contrato encerrado

O polêmico contrato entre a CPI da Petrobras com a Kroll para investigações paralelas não será renovado.

O contrato, no valor de 1,2 milhão de reais e celebrado em abril, causou espécie. Nem os integrantes da CPI sabem direito o que foi apurado – somente o presidente da CPI, Hugo Motta, da tropa de choque de Eduardo Cunha.

Oficialmente, a Kroll informará que não se acertou com a CPI para uma nova rodada de investigações.

Oficialmente também, a Kroll investigou uma dúzia de nomes. São eles:

Alberto Yousseff;

João Vaccari Neto;

Júlio Camargo;

Continua após a publicidade

Ricardo Pessoa;

Dalton Avancini, ex-presidente da Camargo Corrêa;

Eduardo Leite, ex-vice-presidente da Camargo Corrêa;

Renato Duque;

Paulo Roberto Costa;

Pedro Barusco;

Stael Fernanda Janene, ex-mulher do ex-deputado José Janene;

Augusto Mendonça Neto, executivo da empreiteira Toyo Setal;

Julio Faerman, ex-SBM.

Continua após a publicidade
Publicidade