Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem exageros

A Rio 2016 cortou 1,5 bilhão de reais do orçamento programado para ser gasto entre 2013 e 2016. São despesas para a festa, não de infraestrutura. Havia, por exemplo, uma conta de 6 milhões de reais espetada sob o guarda-chuva “fotografia”. Caiu para 10% desse valor. Enxugou também nas piscinas. Foi abortada uma piscina provisória […]

Por Da Redação - Atualizado em 17 Feb 2017, 09h40 - Publicado em 3 Aug 2013, 08h26

Complexo Maria Lenk: enxugamento de gastos da Rio-2016

A Rio 2016 cortou 1,5 bilhão de reais do orçamento programado para ser gasto entre 2013 e 2016. São despesas para a festa, não de infraestrutura. Havia, por exemplo, uma conta de 6 milhões de reais espetada sob o guarda-chuva “fotografia”. Caiu para 10% desse valor.

Enxugou também nas piscinas. Foi abortada uma piscina provisória para saltos ornamentais, que seria montada  na praia de Copacabana. Decidiu-se fazer as provas no Parque Aquático Maria Lenk, erguido para o Pan de 2007.

Justiça se faça, a redução foi decidida antes das manifestações de junho, que teve como um dos alvos os gastos com os estádios da Copa.

Publicidade