Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem decisão definitiva do STJ, eleição no Vasco chega ao STF

Caso será relatado por Cármen Lúcia

Por Gabriel Mascarenhas Atualizado em 13 nov 2020, 19h29 - Publicado em 13 nov 2020, 19h25

O imbróglio da eleição presidencial no Vasco da Gama pode, enfim, acabar nas próximas horas. O caso acaba de chegar ao Supremo e será relatado pela ministra Carmen Lúcia.

O pleito foi suspenso por uma decisão liminar do presidente do STJ, Humberto Martins, tomada no último sábado, durante o plantão do tribunal. Desde então, a excelência está sentada sobre o processo, que já deveria ter sido redistribuído na corte.

Candidato mais votado na eleição do último sábado, 7, o advogado Leven Siano e o presidente do Conselho Deliberativo do clube carioca, Roberto Monteiro, entraram com uma reclamação em busca de uma liminar para derrubar a decisão de Martins.

O presidente do STJ considerou que o pleito pudesse gerar danos em razão da pandemia de Covid-19 e determinou que ela seja feita virtualmente.

Siano, então, recorreu ao STF. A reclamação foi distribuída a Cármen Lúcia. A eleição virtual no cruzmaltino está marcada para as 9h deste sábado.

“Está claro que a votação presencial do dia 07.11.2020 transcorreu normalmente, seguindo as medidas sanitárias determinadas pela autoridade competente e em conformidade com as regras da convocação dispostas em edital assinado pelo Presidente do VASCO DA GAMA, inexistindo qualquer justificativa lógica ou jurídica para que a decisão reclamada interferisse no processo eleitoral”, dizem os advogados.

Continua após a publicidade
Publicidade