Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Sanfoneiro da Embratur” reage a netos de Gonzagão e toca Asa Branca

Gilson Machado, alvo de uma nota de protesto dos familiares de Luiz Gonzaga, diz ser discípulo do rei do baião e que nada vai mudar

Por Evandro Éboli - Atualizado em 4 jul 2020, 21h25 - Publicado em 4 jul 2020, 21h02

Alvo de duras críticas dos netos de Luiz Gonzaga neste sábado – por ter executado “Riacho do Navio”, canção do avô com Zé Dantas, numa live ao lado de Jair Bolsonaro -,  o presidente da Embratur, Gilson Machado, não se fez de rogado. Ele disse ao Radar que continuará a tocar o repertório de Gonzagão nas suas apresentações.

Amora Pêra, Nanan Gonzaga e Daniel Gonzaga, os netos, divulgaram uma “nota de nojo diante deste governo mortal e suas lives” e vetam que o governo use canções de autoria de seus familiares. Os três são fihos de Luiz Gonzaga Júnior, o cantor e compositor Gonzaguinha.

Procurado pela coluna, Machado enviou um vídeo tocando “Asa Branca”, parceria de Luiz Gonzaga com Humberto Teixeira. Disse ser exclusivo.

“Minha resposta é tocar Asa Branca. Com muito orgulho, o hino do Nordeste”, disse.

Continua após a publicidade

O presidente da Embratur disse que “nada vai mudar” seu respeito e idolatria por Luiz Gonzaga, um exemplo para sua carreira, disse.

“Sempre toco músicas do ‘Rei’ em todas as minhas apresentações. A chama do verdadeiro forró nunca pode se apagar. Deveria ser obrigatório em todo evento junino no nordeste,os artistas tocarem músicas de Luiz Gonzaga. Tenho orgulho de ser discípulo dele. Nada nem ninguém vai mudar meu sentimento e respeito pelo Rei Do Baião”, afirmou Gilson Machado.

No vídeo, Machado é acompanhado pelo também sanfoneiro Cicinho do Acordeon.

Publicidade